Fale Conosco

20 de janeiro de 2013

PBGás celebra convênio com Senai para formar técnicos em gás natural



Um convênio de cooperação técnica para capacitar profissionais na área de gás natural, com foco no seu desenvolvimento tecnológico. É o que acaba de ser celebrado entre a Companhia Paraibana de Gás (PBGás) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/PB). Os dois órgãos assinaram o acordo para o desenvolvimento de pesquisa de tecnologias e capacitação de pessoal através de cursos, palestras e treinamentos nas instalações do departamento regional do Senai na Paraíba.

Para a realização das atividades, a PBGás vai disponibilizar um volume de 6 mil metros cúbicos de gás natural ao Senai, durante o prazo de vigência do convênio, além de dar suporte na montagem de programas para o desenvolvimento da aplicação desse combustível junto aos profissionais.

Esse convênio é de grande importância para a distribuidora e para a Paraíba, segundo avaliou o diretor técnico comercial da PBGás, Germano Sampaio de Lucena. Ele disse que, com essa iniciativa, a empresa reafirma o seu compromisso com o desenvolvimento socioeconômico do Estado na medida em que estimula a formação de uma futura mão obra especializada, consolida e amplia as aplicações tecnológicas para o gás natural e contribui para a preservação do meio ambiente.

“Nesse contexto de pesquisas tecnológicas, nossa primeira ação junto ao Senai será o estudo comparativo entre o uso do forno elétrico e o forno a gás natural nas panificadoras, complementado por estudo específico sobre as vantagens da utilização do GN em relação à lenha no fabrico de pães e similares. Os empresários vão poder comparar os resultados e buscar essa modalidade mais vantajosa de produção, considerando, inclusive, aquela mais correta sob o ponto de vista da ecologia”, disse Germano.

Além do estudo para a produção de pães e massas, utilizando o GN como alternativa, o convênio engloba uma série de projetos a serem realizados nos próximos cinco anos. Estão previstos estudos em torno da produção de cerâmica vermelha; capacitação de mão de obra na área de instrumentação pneumática; testes de desempenho de queimadores, maçaricos, medidores, válvulas e outros equipamentos da área de gás natural, além da realização de eventos, seminários e oficinas de trabalho para os públicos interno e externo.

“Será um suporte altamente relevante. Teremos técnicos, excelente laboratório e um parceiro do porte do Senai, que vai nos auxiliar nas pesquisas de tecnologias aplicadas e, claro, na formação de profissionais. Com isso, a Paraíba é quem tem a ganhar nos próximos anos”, concluiu Germano.