Fale Conosco

13 de fevereiro de 2012

PBGás atinge a marca de 2,5 mil moradias utilizando gás natural



Com a expansão do gás natural para residências, a Companhia Paraibana de Gás (PBGás) acaba de atingir a marca de 2,5 mil clientes residenciais a utilizar o produto. Trata-se de um número significativo, em que pese o crescimento de novos usuários em tão pouco tempo. Para se ter uma ideia, foi em maio do ano passado que a PBGás ligou o seu milésimo cliente. De lá para cá, em apenas nove meses a companhia ligou mais 1.500 unidades, chegando ao mês de fevereiro com esse patamar de 2.500 UIAs  (Unidades Imobiliárias Autônomas).

O edifício que traz esse marco, na cidade de João Pessoa, é o Edifício Mistic, localizado na Avenida Edson Ramalho, em Manaíra. O prédio existe há 30 anos e possui seis apartamentos. Todos eles foram interligados com instalações individuais do gás natural. O engenheiro militar João Ferreira Filho, coronel e síndico do imóvel, foi quem tomou a iniciativa de procurar a PBGás para manifestar interesse na utilização do GN.

“Eu tive a ideia de procurar a companhia desde o momento em que vi a rede sendo instalada no bairro, próximo ao nosso prédio”, explicou ele. “Sempre procuramos renovar, e aqui somos todos adeptos de energias renováveis. Entre as melhorias que já fizemos, só estava faltando o gás natural. Só não sabíamos que a gente estávamos completando esse número para a PBGás”, disse.

O diretor-presidente da Companhia, Zenóbio Toscano, também comemora o marco e lembra que há um crescimento de clientes no segmento residencial. “O número é emblemático e serve de parâmetro para as metas que temos conquistado nos últimos meses. Em menos de um ano, desde que completamos o milésimo cliente, tivemos um crescimento de 150% nesse segmento, sem falar que muitas outras famílias vão aderir ao gás natural nos próximos meses”, disse ele.

Com apenas um dia utilizando o gás natural, segundo depoimento do coronel Ferreira, as seis famílias do Edifício Mistic já sentiram a diferença. A dona-de-casa Raimunda Mendes, moradora do prédio, disse ter percebido a diferença na chama. “Não tem comparação. Vi logo que a chama tem mais força e não solta cheiro, a queima não contém fuligem e não suja as panelas”, comentou. Ela lembrou ainda que se sente segura e que aguarda o resultado da economia. “Outra boa característica do gás”, concluiu.