João Pessoa
Feed de Notícias

PB registra crescimento real de 1,6% no PIB em um ano

quarta-feira, 23 de novembro de 2011 - 18:13 - Fotos:  José Lins/Secom-PB

Foto: José Lins/Secom-PB

A Paraíba registrou variação real positiva de 1,6%em seu Produto InternoBruto (PIB), de2008 a2009. A informação foi divulgada na manhã desta quarta-feira (23), pelo Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme), juntamente com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento do PIB do Estado ficou acima da inflação registrada no período. O índice paraibano, inclusive, foi o 12º melhor do País e o quinto do Nordeste. Enquanto a Paraíba cresceu, o Brasil registrou uma pequena retração de 0,3%.

Em termos nominais, a variação paraibana ficou em 11,8%, passando de R$ 25,697 bilhões para R$ 28,179 bilhões, a preços de mercado corrente, entre 2008 e 2009, respectivamente. No mesmo período, a participação do Estado no PIB nacional subiu de 0,84% para 0,90%, ficando na 18ª posição entre as unidades da federação – a mesma posição do ano anterior. Tomando por base o valor do PIB total, o acréscimo no índice paraibano foi superior ao apresentado por São Paulo (-0,8%), Minas Gerais (-4,0%) e Rio Grande do Sul (-0,4%), que, em valores absolutos, estão entre os estados que possuem os mais elevados números de PIB.

De acordo com o superintendente do Ideme, Mauro Nunes, 2009 foi um ano atípico para a economia brasileira, devido ao ápice da crise internacional vivida no período analisado. “Isso fez com que os estados mais industrializados e com economia direcionada para setor exportador fossem os mais penalizados, enquanto os estados que atendem mais ao mercado interno sofreram menor impacto. Foi por esse motivo que pequenas economias, como a da Paraíba, cresceram mais do que as maiores”, explicou.

Segundo informações do Ideme, o crescimento do valor nominal e da participação relativa do PIB estadual no nacional foram reflexos do crescimento da produção estadual de bens e serviços e da comercialização dos mesmos a preços médios mais elevados que os registrados em 2008. Do total de R$ 28,179 bilhões de valores correntes do PIB paraibano, em 2009, R$ 25,926 bilhões são referentes ao Valor Adicionado pela economia propriamente dito, sendo os R$ 2,792 bilhões restantes referentes aos Impostos Líquidos de Subsídios.

PIB per capita – A renda, ou PIB per capita estadual, que representa o coeficiente entre o PIB total e a respectiva população, foi de R$ 7.618 reais/habitante, em 2009, correspondendo a um acréscimo de 11%, em termos nominais. Mesmo assim, o crescimento real da Renda por habitante foi de 0,9% em relação a 2008 (R$ 6.866). Além disso, o valor verificado em 2009 correspondia a 93% do valor do PIB per capita da Região Nordeste, que ficou em R$ 8.168 reais/habitante.

Setor Primário – Em 2009, o valor adicionado pelo Setor Primário paraibano foi de R$ 1,475 bilhão, contra R$ 1,409 bilhão em 2008, ocorrendo uma pequena variação em termos nominais de 4,7%. Segundo o Ideme, o acréscimo ocorreu em função do aumento do preço médio de alguns produtos importantes, como a cana-de-açúcar e o abacaxi, entre 2008 e 2009, e também pelo desempenho positivo da pecuária, que cresceu 6,3%, sobretudo a criação de bovinos, com 6% de variação, sendo responsável por 71% do Valor Adicionado na Pecuária, e ainda a Pesca com crescimento real de 8%.

Contudo, em termos reais, o setor apresentou variação negativa de 10,2%. Para o técnico do Ideme Geraldo Lopes, o decréscimo foi motivado pela vulnerabilidade da agricultura paraibana aos efeitos da seca. “O ano de 2009 não foi bom para agricultura do Estado nem para o restante do Brasil. No nosso caso, diminuímos a quantidade produzida e houve queda de preço. Tanto que a agricultura, especificamente, decresceu 17,6%, enquanto a pecuária e a pesca registraram variação positiva de 6,3%”, explicou. Alguns dos produtos constantes da agricultura paraibana que sofreram retração nos preços e na quantidade produzida foram milho, feijão, arroz e mandioca.

Setor Secundário – Ainda em 2009, o Setor Secundário cresceu 8,5%, impulsionado pelo grupo Indústria de Transformação, que registrou o maior crescimento real do Valor Adicionado (12,5%). “Houve um crescimento da indústria a partir das políticas adotadas pelo próprio governo em relação à atração de investimentos para o Estado. Minha expectativa é de que, com as novas políticas que estão sendo adotadas, haja maior participação e crescimento da indústria da Paraíba”, destacou Mauro Nunes. A Construção Civil também registrou aumento, com a variação positiva de 5,7%, além dos Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP), que teve acréscimo de 4,9%.

Setor Serviços – Em 2009, o Setor de Serviços detinha a maior participação na economia paraibana (72,2%), mas cresceu apenas 0,5%. Esse pequeno desempenho está refletido nos resultados obtidos pelas principais atividades componentes do Setor. Algumas delas tiveram crescimento em volume, como os Serviços de Alojamento (16,1%), Serviços Financeiros (14,9%), Serviços Prestados às Empresas (7,1%), Serviços Domésticos (13,1%) e Administração Pública – APU (2,3%), sendo que esta última detém a maior participação dentre todas as atividades econômicas do Estado, aproximadamente 31% do Valor Adicionado total, em 2008 e 2009.