João Pessoa
Feed de Notícias

Patrimônio histórico: Governo encera curso sobre Inventário de Bens Móveis e Integrados

quinta-feira, 3 de março de 2016 - 09:15 - Fotos: 

Durante cinco dias – entre 25 de fevereiro e 2 de março, foi realizado o curso Inventário de Bens Móveis e Integrados, realizado pelo Governo do Estado, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) e da Escola de Serviço Público do Estado da Paraíba (Espep).

O restaurador de documentos, Ted Henrique César, que trabalha na Fundação Espaço Cultural (Funesc), explicou que a possibilidade do exercício de uma prática foi o ponto alto do curso. “Todo conhecimento da ministrante Piedade Farias foi repassado. E tivemos a oportunidade de não apenas absorver, mas de colocar em prática a realização de um inventário, quando avaliamos uma obra e preenchemos uma ficha de inventário”.

Para os estagiários do Iphaep – Ana Raquel Ramalho, Brenda Brunet, Avertanio Marques e Alcivan Freitas – a oportunidade de participar de um curso sobre inventário de bens culturais foi de extrema importância para o aprendizado e aperfeiçoamento. “Assim como nós, a maioria das pessoas não sabe do que se trata um inventário ou como se faz”.

“E tivemos, além da teoria, uma parte prática, que foi uma das melhores experiências, englobando as áreas de geografia, história, arte e restauração”. Eles também disseram que o ideal é que, nos próximos meses, haja uma ampliação do curso, com a formatação de novos módulos.

O curso – “Inventário de Bens Móveis e Integrados” foi ministrado pela restauradora Piedade Farias, para os servidores do Iphaep, aberto também aos servidores públicos do Estado, que trabalham em museus e instituições detentoras de acervos, além de colecionadores e interessados em conhecer e preservar a memória histórica e arquitetônica da Paraíba.

Através de aulas teóricas e práticas, os servidores conheceram o universo de um Inventário de um bem móvel e integrado: desde a sua conceitualização e a diferenciação dos tipos de bens e acervos, até os procedimentos que permitem a descrição de uma obra. Eles discutiram, entre outros temas, quais os elementos que não podem faltar na descrição de um inventariante e qual a importância do registro de um inventário no tocante à preservação e conservação de um bem.

A restauradora Piedade Farias enfatizou que existem duas formas de preservação do patrimônio cultural. “Como forma técnica, nós temos a conservação e a restauração. Como forma legal, temos o tombamento. O Inventário respalda o Tombamento de um bem cultural, pois detalha todos os dados e características desse bem, sintetizando-os numa ficha padrão”, explicou.

A restauradora – Paraibana de João Pessoa, Piedade é umas das mais respeitadas profissionais do Brasil, tendo realizado os Inventários dos Bens Móveis e Integrados de diversas instituições brasileiras: o Museu de Arte Sacra de Alagoas (em Marechal Deodoro/AL), a Igreja de N. S. da Corrente (Penedo/AL) e o Palácio do Governo de Pernambuco, Museu da Abolição de Recife, além do acervo temático da Umbanda e Candomblé do Museu do Estado de Pernambuco.

De acordo com a diretora executiva do Iphaep, Cassandra Figueirêdo, os trabalhos estão avançados. “Recentemente, o Iphaep concluiu os Inventários dos Bens Móveis e Integrados do Palácio do Governo da Paraíba e do Tribunal de Justiça da Paraíba, assim como o arrolamento dos bens móveis dos conjuntos Franciscano e Carmelita. Também estamos encerrando, o Inventário dos Bens da Igreja do Rosário, edificado no século XVIII, no município de Pombal, no Sertão da Paraíba. Parcerias estão sendo firmadas no sentido de avançarmos na realização de inventários de bens móveis tombados pelo Iphaep. Essa é uma formação importante, bastante específica, que nos permite uma maior fundamentação que irá contribuir com a prática do nosso trabalho”, esclareceu.