João Pessoa
Feed de Notícias

Parceria disponibiliza linhas de crédito para agricultores da Paraíba

terça-feira, 12 de junho de 2012 - 08:50 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

Uma parceria dos governos estadual e federal, por meio do Crédito Semi-Árido Seco, está facilitando o acesso às linhas de crédito para o agricultor familiar na Paraíba. A meta é disponibilizar dinheiro para investimento e custeio da produção nos 195 municípios afetados pela estiagem.

Cada família pode ter acesso ao crédito de R$ 12 mil, segundo adiantou o secretário executivo da Agricultura Familiar, Alexandre Eduardo Araújo. Técnicos da Emater estão presentes em todas as cidades prejudicadas para atender os agricultores familiares, orientando para que as propostas de créditos sejam viabilizadas pelo Banco do Nordeste e pelo Banco do Brasil, quando possível.

O secretário explica que, dos R$ 12 mil disponibilizados, R$ 8 mil podem ser aplicados em recursos hídricos como reforma de barreiros, tanque-pedra, cisternas, barragem subterrânea, e outras ações, e os R$ 4 mil restantes para o custeio agrícola, visando a aquisição de ração para os animais.

Para ter acesso às linhas de crédito, os agricultores devem se dirigir a uma das unidades da Emater e falar com um técnico extensionista. O banco avalia as propostas em poucos dias. “Este ano, o governo está fazendo o possível para reduzir os prejuízos”, destaca o secretário acrescentando que, mesmo em períodos de seca, é possível alimentar os animais.

Alimentação animal – Nesta quinta-feira (14), na Estação Experimental Pendência, da Emepa, em Soledade, o Governo do Estado realiza o evento Vitrine Tecnológica – Estratégias Emergenciais para Alimentar os Rebanhos em Períodos de Estiagem. O secretário executivo, Alexandre Eduardo Araújo, chama a atenção dos produtores sobre a importância do programa estadual de alimentação animal. Esses eventos estão sendo realizados em cidades pólo para colaborar com o produtor rural na produção de alimentos para os rebanhos. Nas duas últimas grandes secas ocorridas nos anos de 1992-1993 e 1997-1998 os prejuízos foram enormes com a perda de muitos animais.