Fale Conosco

11 de setembro de 2009

Paraibanos participam de curso para melhorar atenção básica em saúde



Começa nesta segunda-feira (14), o terceiro módulo do Curso de Aperfeiçoamento de Gestão em Atenção Primária, que faz parte de um projeto patrocinado pela Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional (Cida), Ministério da Saúde, Universidade de Toronto e Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba (SES-PB). O treinamento de três dias é ministrado por consultores brasileiros e canadenses e trata de temáticas de atenção básica em saúde, enfatizando aspectos de gênero e etnia. As aulas serão ministradas no Hotel Verde Green, em Manaíra, até a quarta-feira (16).

Os 46 participantes do curso estão elaborando projetos baseados em evidências, a fim de intervir positivamente em uma série de problemas de saúde de municípios paraibanos. Puericultura, pré-natal, mortalidade infantil, tuberculose, câncer ginecológico e fraturas do fêmur em idosos foram os temas escolhidos para os projetos de intervenção na Paraíba. Além da Paraíba, os estados do Piauí, Alagoas e Ceará foram os estados brasileiros contemplados com o projeto que visa melhorar os indicadores de saúde nestes estados.

Entre os participantes do curso estão nutricionistas, enfermeiros, pedagogos, médicos, dentistas e assistentes sociais. A abertura oficial do terceiro módulo do curso será feita às 8h30, pela gerente de Atenção Básica em Saúde, Niedja Rodrigues. A apresentação dos objetivos, conteúdos, desenvolvimento e avaliação do terceiro módulo estará a cargo do médico e professor da Universidade de Toronto, Yves Talbot.

De acordo com Yves Talbot, o objetivo principal do curso é o aperfeiçoamento das práticas de gestão de serviços de Atenção Primária à Saúde (APS), no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS). “O curso oportuniza a apropriação de uma metodologia de enfrentamento de problemas de saúde e disponibiliza ferramentas para que os participantes desenvolvam habilidades gerenciais. Além disso,  o curso enfatiza que as questões de gênero e etnia devem ser consideradas a fim de que pessoas de ambos os sexos e todas as raças sejam tratadas com equidade”, explica Talbot.

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB