João Pessoa
Feed de Notícias

Paraibana mostra trabalhos em desenho na Archidy Picado

quarta-feira, 5 de maio de 2010 - 09:03 - Fotos: 
Paraibana radicada em São Paulo mostra trabalhos em desenho, objetos e vídeos a partir desta quinta-feira (06) na galeria do Espaço Cultural José Lins do Rego

A primeira exposição selecionada no Edital de Ocupação da Galeria Archidy Picado 2010 será instalada neste mês de maio. É a individual da artista plástica paraibana Adriana Aranha, intitulada “Desvio, o Fim das Coisas”. A exposição, composta por desenhos, objetos e vídeo, será aberta nesta quinta-feira (06), às 20h, na Galeria Archidy Picado do Espaço Cultural, e poderá ser conferida até 06 de junho, com entrada franca.

Paraibana, Adriana Aranha vive e trabalha em São Paulo. Autodidata, é graduada em Direito pela Unicap (PE) e pós-graduada em História da Arte pela FAAP (SP) com o tema de pesquisa “Paulo Bruscky: Correspondências com o Grupo Gutai”.

A simplicidade dos gestos cotidianos é um dos interesses da artista, que costuma colocar um olhar fantasioso sobre as situações comuns como forma de enxergar uma nova possibilidade nas relações estabelecidas entre as pessoas e os objetos, entre as convenções sociais e a convivência com o mundo. Seu trabalho é voltado para várias mídias, entre objetos, ações para vídeo, desenhos e fotografias.
“Impressões”, primeira exposição individual de Adriana, aconteceu no Museu da Abolição/IPHAN, em Recife (PE), em 2001. Depois, ela mostrou seu trabalho também em coletivas em São Paulo (SP), entre elas, "Wonderland: Ações e Paradoxos", no Centro Cultural; "Não é a Monalisa", Galeria Nuvem; "Linha Líquida", no Memorial da América Latina; "Tripé – Linha", Sesc Pompéia, e "Cabines Peep-vídeo", Sesc 24 de Maio, na Virada Cultural de 2008.  Esteve ainda em Istambul, na Turquia, na coletiva "18th Istanbul Art Fair, Koridoor Contemporary Art Programs".

Primeira de uma série de 7 exposições

O coordenador de Artes Visuais da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), Sidney Azevedo, explica que a exposição de Adriana Aranha é a primeira de uma série de sete que ocorrerão na Galeria Archidy Picado ao longo deste ano, selecionadas no Edital de Ocupação, em março de 2010, que contemplou um total de 27 artistas, em mostras coletivas e individuais.

“Deste modo, inauguramos um novo momento da Galeria Archidy Picado, que passa a ter critérios de seleção e uma relação democrática com o meio artístico, entrando no circuito nacional de galerias institucionais que primam por projetos estéticos consistentes e trazem a público mostras pertinentes e debates produtivos no âmbito da arte e da crítica de arte atuais”, diz Sidney Azevedo. O próximo Edital de Ocupação da Galeria, para 2011, deve ser lançado em novembro deste ano.

Biografia de Adriana Aranha

Adriana Aranha, 1973, João Pessoa-PB-Brasil, muda-se para Recife-PE em 1989, desde 2004 vive em São Paulo-SP. Graduada em Direito em 1999 pela Unicap – PE e pós-graduada em História da Arte pela FAAP-SP em 2006 com o tema de pesquisa Paulo Bruscky: Correspondências com o Grupo Gutai.

Das coletivas que participa destacam-se, em 2010, Paradas em Movimento, Wonderland: Ações e Paradoxos, CCSP-São Paulo e Não é a Monalisa, Galeria Nuvem, São Paulo-SP. Em 2009, Linha Líquida, Memorial da América Latina-São Paulo-SP.
No ano de 2008 transita entre São Paulo, Paris e João Pessoa e participa da 18th Istanbul Art Fair, Koridoor Contemporary Art Programs, Istambul, Turquia; Tripé – Linha, Sesc Pompéia, São Paulo – SP e Cabines Peep-vídeo, Sesc 24 de Maio, Virada Cultural, São Paulo – SP.

Em 2007 é contemplada com a bolsa/residência Atelier Amarelo III, São Paulo-SP, com o projeto Não conduzo, sou conduzida e participa do 35 Salão de Arte Contemporânea Luiz Sacilotto, em 2005 ganha a bolsa SPA-Semana de Artes visuais do Recife, com o projeto Delegações-Recife/São Paulo, realizado com a colaboração dos Artistas André Dória, Jeims Duarte, Eduardo Souza, Marcos Eiji e Flávio Uno.

 
Em 2003 participa do Carlton Encontro Com Arte, com a performance Fio Condutor e do XI Salão Municipal de Artes Plásticas SAMAP, João Pessoa – PB. Em 2002 participa da coletiva Umbigo na Galeria Amparo 60 e em 2001 realiza sua primeira exposição individual Impressões no Museu da Abolição – IPHAN, Recife-PE.

Freqüenta diversos cursos/oficinas, entre eles: Instalação e o Espaço Contemporâneo com Laura Vinci em 2007; A Produção Tridimensional Contemporânea: A Arte da Instalação, aluna especial, Prof. Dr. Carlos Fajardo, Mestrado ECA-USP em 2004, e neste mesmo ano Intervenções Efêmeras no Contexto Urbano, CCSP-SP, com Regina Silveira.    

Em 2003, Quem tem Medo da Arte Contemporânea com Fernando Cocchiarale na Fundação Joaquim Nabuco, Recife-PE e Expressão Plástica em Volume, aluna ouvinte, Prof. Dra. Maria do Carmo Nino, UFPE. Em 2002, No Curso das Coisas, Semana de Artes Visuais do Recife-PE, com Elida Tessler. Em 2001, Fotografia e Artes Visuais: Encontros na Contemporaneidade, Annateresa Fabris.

Entre 1999 e 2000 freqüenta o atelier de gravura da UFPE, sob a orientação do artista André Aquino e pesquisa técnicas de gravura em metal e impressão em suportes não-convencionais, participa do curso História da Arte Moderna e Contemporânea, Fundação Joaquim Nabuco, Recife–PE e ministra oficina para crianças do Sertão Paraibano, com enfoque na revalorização e utilização de materiais locais e de uso cotidiano.

SERVIÇO:

“DESVIO, O FIM DAS COISAS”, Adriana Aranha
ONDE: Galeria Archidy Picado (Espaço Cultural José Lins do Rego – Rua Abdias Gomes de Almeida, 800, Tambauzinho, João Pessoa);
ABERTURA: Quinta-feira (06), às 20h;
VISITAÇÃO: De 06 de maio a 06 de junho de 2010, de segunda a quinta-feira, das 12h às 18h; sexta, das 8h às 13h; sábado e domingo, 14h às 20h;
INFORMAÇÕES: (83) 3211.6272.

Assessoria de Imprensa da Funesc