Fale Conosco

8 de junho de 2009

Paraíba vai priorizar a produção de sementes selecionadas para agricultores



O Plano Safra da Paraíba 2009/2010 terá uma dotação de R$ 15 milhões e vai priorizar a produção de sementes selecionadas para atender aos agricultores por ocasião do plantio, conforme garantiu, nesta segunda-feira (8), o secretário do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcanti. Ele fez o comunicado durante reunião, no auditório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB), com o secretário nacional da Agricultura Familiar (Pronaf) do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Adoniram Sanches Peraci. Adoniram também esteve com o governador José Maranhão.

No final da manhã, durante o encontro com o governador José Maranhão na Granja Santana, Sanches havia discutido ações conjuntas para fazer avançar as políticas públicas de apoio aos produtores paraibanos. A reunião contou com a presença de todos os dirigentes das empresas vinculadas à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca.

Os recursos contemplam os diversos setores produtivos do setor primário, mas o secretário Ruy Bezerra destacou que a determinação do governador José Maranhão é que seja priorizada a produção de sementes, de modo a atender aos agricultores no período das chuvas. Cerca de duas mil toneladas de grãos serão obtidas a partir de uma parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Já existem 90 mil subscrições para o Seguro Safra, sendo que cada produtor rural receberá uma cota de 15 quilos de sementes. No total, 150 municípios paraibanos aderiram ao Programa e o secretário acredita que o Governo do Estado deva financiar cerca de 500 mil quilos de sementes na próxima safra agrícola. “Este foi o objetivo de recebermos o secretário Adoniram Sanches, que acolheu o convite do governador para vir a Paraíba e discutir a safra 2009/2010, que esperamos seja uma das maiores dos últimos tempos”, comentou.

O secretário nacional da Agricultura Familiar disse que a inadimplência do Pronaf é muito grande no Nordeste, e, no caso da Paraíba, há a participação dos extensionistas que estão contribuindo para recuperar esses recursos investidos. Está sendo discutido um novo prazo para que os produtores possam quitar suas dívidas.

Lembrou que o juro cobrado pelos empréstimos é de menos de 1% ao ano. “Se o agricultor pagar em dia terá um rebate de 25% do valor do empréstimo. Uma nova lei deve ampliar esse percentual para 60%. Sugerimos que esses agricultores não apostem na inadimplência, mas devem conversar com o banco, renegociar sua dívida, porque poderá ter acesso a novos recursos”, comentou Adoniram Sanches.

Ele disse ainda que Paraíba tem tradição em pesquisas. “Aqui existem projetos de excelente qualidade, alguns que tiveram prosseguimento e outros que foram paralisados. Temos que ouvir as lideranças rurais, os prefeitos, os técnicos e extensionistas para que a trajetória da agricultura seja a melhor possível”, observou.

Além do Plano Safra foram discutidos os principais programas executados na Paraíba em parceria com o Governo Federal, como o Garantia Safra, Biodiesel, Territórios da Cidadania e produção de sementes.

José Nunes, com fotos de Antônio David