João Pessoa
Feed de Notícias

Paraíba vai ganhar mais duas usinas termoelétricas

quinta-feira, 15 de setembro de 2011 - 19:31 - Fotos: 

Foto: José Marques/Secom-PB

A Paraíba ganhará mais duas usinas termoelétricas que vão garantir maior segurança energética para a região. A assinatura do protocolo de intenções para a implantação de duas usinas termoelétricas no município de Santa Rita foi assinado pelo governador Ricardo Coutinho e pelo representante da empresa Termopower, na tarde desta quinta-feira (15), no Palácio da Redenção.

O investimento para implantação dos empreendimentos é de R$ 650 milhões, e as duas termoelétricas terão capacidade de produzir mais de 400 MW (megawatt). Ricardo Coutinho destacou que esse é um investimento de alto porte que vai garantir uma maior segurança energética não só para a Paraíba, mas para o Brasil. “As usinas terão uma capacidade para abastecer três milhões de domicílios e faz parte do programa de retaguarda energética do governo Federal”, disse o governador.

Ricardo Coutinho destacou a pauta positiva vivida pela Paraíba que se destacou, segundo dados do Ministério do Trabalho, como o quinto estado com maior criação de empregos formais e o segundo do Nordeste. “Estamos recebendo esses investimentos que vão gerar 300 empregos durante a construção e mais 50 empregos diretos com grau de qualificação elevado”.

De acordo com o empresário Paulo Seidel, da Termopower, o Governo do Estado investe em incentivos necessários para instalação do empreendimento nos próximos 15 meses. Ele comentou que a empresa possui uma usina termoelétrica em Manaus e que está com mais seis em construção no Nordeste – três em Pernambuco, duas na Paraíba e uma em Alagoas.

O empresário ressaltou que, apesar das termoelétricas representarem uma fonte de segurança para o sistema nacional, funciona também como uma estabilidade para o fornecimento de energia local. “Isso acaba atraindo investimentos de outros tipos de empreendimentos que vêm como garantia em caso de uma falha de abastecimento como um todo”.

Paulo Seidel acrescentou que as usinas não foram planejadas para funcionar em regime constante de produção de energia, mas como uma alternativa de segurança para que a operadora ONS possa solicitar a utilização da energia dentro de uma situação crítica de baixa dos reservatórios das hidroelétricas.  “Nestes casos, a capacidade é de funcionamento é de 15 dias por ano e operador nacional decide para onde distribuir no país”, explicou o empresário.

Desenvolvimento econômico – O secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Renato Feliciano, destacou que as termoelétricas praticamente dobrarão a capacidade de geração de energia na Paraíba que atualmente é de cerca de 400 MW com as usinas de João Pessoa e Campina Grande. “Estamos garantindo uma segurança energética para as futuras indústrias instaladas aqui e nos Estados vizinhos”.

Renato Feliciano lembrou que o país passou por graves problemas de energia na época dos apagões, justamente pela falta de usinas para suprir a energia nestes períodos. “Com isso, os empresários se sentirão mais seguros de que não terão prejuízos em casos de colapsos de energia”, concluiu.

Participaram da reunião para a assinatura dos protocolos de intenções o secretário de Planejamento, Gustavo Nogueira, o secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Renato Feliciano, o secretário de Ciência e Tecnologia, Marcos Procópio e o secretário da Receita, Rubens Aquino.