Fale Conosco

29 de junho de 2009

Paraíba vacina 278.436 crianças. Campanha termina nesta terça



Em uma semana, 278.436 crianças paraibanas foram vacinadas contra a paralisia infantil. Segundo o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), o número equivale a 87,93% da população-alvo.  A meta é imunizar, pelo menos, 95% das 316.674 crianças na faixa etária entre 0 e 5 anos. Quem não levou o filho para ser vacinado contra a poliomielite, tem até esta terça-feira (30) para procurar um posto de saúde, dentro da primeira etapa da campanha 2009 de vacinação infantil.

O coordenador do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Walter Albuquerque, lembrou que a vacina é o único meio seguro de manter a Paraíba livre da doença e que os pais e responsáveis pelas crianças menores de 5 anos devem ter essa consciência. “Os últimos dados que o PNI disponibiliza são ainda da semana passada. A cobertura deve ser bem maior. Resta aos municípios atualizarem as informações. Acreditamos que vamos atingir a meta e continuar garantindo a erradicação da pólio, no Estado e no País”, disse.

Segundo o SI-PNI, a Paraíba é o segundo colocado no ranking dos Estados nordestinos que mais vacinaram contra a pólio, nesta primeira etapa, só perdendo para Pernambuco, que vacinou 88,97% de suas crianças menores de 5 anos. Os últimos dados também mostram que o Nordeste atingiu 79,99% de sua população-alvo, vacinando 3.877.682 de crianças, e o Brasil 85,79%, imunizando 13.292.929 meninos.

Último caso – Walter Albuquerque lembrou que o último caso de pólio no Brasil foi registrado em 1989, no município de Sousa, Sertão da Paraíba, mas o vírus ainda circula no meio ambiente e em outros países e, por isso, a necessidade de campanhas periódicas de vacinação para evitar a reintrodução da doença no País. “A vacina aplicada durante as campanhas cria uma ‘barreira’ no meio ambiente e protege não só a criança que recebeu o imunizante, como também as outras que não foram vacinadas”, explicou Walter.

Assessoria de Imprensa da SES-PB