João Pessoa
Feed de Notícias

Paraíba utiliza Sistema de Integração da Administração Penitenciária

quarta-feira, 26 de junho de 2013 - 11:54 - Fotos: 

A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) está implantando o Sistema de Integração da Administração Penitenciária (Siapen), que permite a centralização, a padronização e troca de informações sobre os reeducandos, entre diferentes repartições do Sistema Penitenciário, a exemplo de presídios, cadeias e a Seap.

O secretário de Estado da Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, enfatizou a importância da utilização desse mecanismo. “A implantação do Siapen representa um grande avanço no Sistema Prisional do Estado da Paraíba, uma vez que vai interligar informações com diferentes equipamentos de segurança, auxiliando no combate ao crime dentro e fora dos presídios, portanto é mais um passo importante para a implementação de novas estratégias de atuação e consequentemente, representa a melhoria da prestação de serviços no sistema penitenciário”.

O sistema é dividido nos módulos web e local e já funciona em seis unidades prisionais. Ele foi cedido pelo Ministério da Justiça e será ampliado para todo o Estado, ficando a Seap, responsável pela atualização e manutenção do mesmo. O módulo web, destinado a consultas de informações dos apenados já cadastrados, caracteriza-se como um prontuário digital, com fotografia, informações básicas e o histórico do mesmo, enquanto que o módulo local, além de apresentar o cadastro, permite o acompanhamento de diferentes serviços, a exemplo da situação disciplinar, clínica médica, educação, acompanhamento jurídico, serviço social, trabalho e terapia ocupacional.

Além da Paraíba, o Siapen já é utilizado nos presídios federais e nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão e no Distrito Federal. Na Paraíba, o sistema já foi implantado nas unidades prisionais Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes – PB1 e PB2, Penitenciária de Segurança Máxima Criminalista Geraldo Beltrão, Penitenciária de Recuperação Feminina Maria Julia Maranhão, Penitenciária de Segurança Média Dr. Hitler Cantalice, Instituto de Psiquiatria Forense (IPF) e Presídio Regional de Guarabira.

Inovação – Além dos dados da população carcerária, o sistema utiliza a biometria, uma ferramenta tecnológica bastante atual no processo de identificação de pessoas. Na Paraíba, a identificação biométrica foi estendida também para os visitantes dos apenados tornando o programa ainda mais eficaz.