João Pessoa
Feed de Notícias

Paraíba supera a meta da primeira etapa da vacinação contra a gripe A

sexta-feira, 19 de março de 2010 - 17:34 - Fotos: 
A Paraíba ultrapassou a meta de vacinação da primeira etapa da campanha contra a gripe pandêmica A (H1N1), antes do prazo. Na tarde desta sexta-feira (19), último dia da primeira fase, o balanço parcial do Programa Nacional de Imunização (PNI) mostrava que o Estado havia vacinado 41.252 pessoas ou 81,83% das 50.416 que estariam nos dois primeiros grupos prioritários (profissionais de saúde e indígenas). A meta era alcançar, pelo menos, 80% da população-alvo. A segunda etapa da campanha começa na próxima segunda-feira (22) e segue até o dia 2 de abril, com a imunização de 91.328 crianças de 6 meses a 2 anos, 69.322 gestantes e 197.104 doentes crônicos, totalizando uma população estimada em 357.754.

O coordenador de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Walter Albuquerque, explicou que a estimativa da paraibana com doenças crônicas foi feita apenas considerando as faixas etárias de 2 a 19 anos e de 40 a 59 anos de idade, que devem procurar os postos de saúde nesta segunda etapa. Isso, porque o restante da população com comorbidade que faz parte de outras faixas etárias já estão em outros grupos prioritários (idosos, jovens de 20 a 29 anos e pessoas entre 30 e 39 anos), que terão momentos distintos no calendário de vacinação.

Documentos – “Quem está dentro do grupo prioritário vai precisar levar algo que comprove a faixa etária e que faz parte do grupo prioritário que está sendo vacinado. A gestante deve levar o cartão da gestante ou um comprovante do pré-natal, por exemplo. O doente crônico precisa de um atestado, um laudo, um cartão de dispensação de medicação especializada ou qualquer outro documento que comprove sua condição. De outra forma, não teremos como identificar se a pessoa faz parte do grupo e correríamos de deixar faltar a vacina para quem mais precisa”, explicou Albuquerque.

Entre os doentes crônicos estão obesos grau 3; pessoas com doenças respiratórias crônicas desde a infância, pulmonar obstrutiva crônica, neuromuscular com comprometimento da função respiratória, hepática e renal; hemoglobinopatias; asmáticos graves, diabéticos, pacientes menores de 18 anos com terapêutica contínua com salicilatos; portadores da síndrome clínica de insuficiência cardíaca e de cardiopatia estrutural com repercussão clínica e/ou hemodinâmica.

Balanço – Walter Albuquerque avalia que a primeira etapa ocorreu tranquila nos 223 municípios da Paraíba. Os profissionais foram vacinados nos locais de trabalho e os indígenas nas 30 aldeias que existem no Estado. “Nesta nova etapa, todas as gestantes, independente da idade gestacional tem que ser imunizadas, assim como as crianças que estão dentro da faixa etária prioritária e o mesmo com quem tem doenças crônicas. Eles foram os que mais sofreram com a doença no ano passado”, lembrou.   

Distribuição – Para esta nova etapa de vacinação foram distribuídas 400 mil doses da vacina para todo o Estado, que foram distribuídas entre os 1.007 postos existentes nos 223 municípios da Paraíba. As vacinas só são enviadas aos Estados, a cada grupo prioritário que vai sendo vacinado. A estratégia foi adotada pelo Ministério da Saúde para atender a demanda de 91 milhões de pessoas que necessitam ser imunizadas no país, à medida em que as vacinas vão sendo produzidas. Na Paraíba, a meta é vacinar 1.750.000 habitantes até o dia 21 de maio.

Sem medo – O coordenador de Imunização da SES, Walter Albuquerque, lembra que a vacina contra a influenza pandêmica já aplicada em milhares de pessoas nos Estados Unidos, Europa e em vários locais do mundo totalizando mais de 80 milhões de pessoas imunizadas que não tiveram nenhuma complicação. “Só não deve ser vacinada que tem alergia a ovo de galinha e algum tipo de infecção grave. Caso contrário, não existe contraindicação para a vacina”, destacou.   

Ele lembrou que – como qualquer medicamento ou imunobiológico – a vacina contra a gripe pode causar reações adversas em algumas pessoas, como: dor muscular local, vermelhidão e endurecimento no local onde foi aplicada. Caso as pessoas sintam alguma reação, a orientação é procurar o posto de saúde, para que seja avaliado.   

Terceira etapa – A terceira etapa de vacinação acontecerá no período de 5 a 23 de abril para a população na faixa etária entre 20 e 29 anos; de 24 de abril a 7 de maio,  o público-alvo serão os idosos com 60 anos ou mais, portadores de alguma doença crônica. Entre os dias 10 e 21 de maio, serão imunizadas as pessoas na faixa etária entre 30 e 39 anos.

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB, com fotos de Robério Gadelha