Fale Conosco

17 de abril de 2012

Paraíba será pólo para especialização em Gestão Pedagógica



Começa nesta quarta-feira (18), às 14h, no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-PB), em João Pessoa, o primeiro encontro presencial do “Curso de Especialização em Gestão Pedagógica nas Escolas Técnicas do SUS (Cegepe)”. Com isso, a Paraíba passa a ser um dos três pólos do Nordeste para o curso que capacitará 300 profissionais de 35 das 36 instituições que integram a Rede de Escolas Técnicas do SUS (RET-SUS) em todo país.

De acordo com a programação, no primeiro dia, as aulas serão ministradas das 14h às 21h. Na quinta-feira (19), das 8h às 18h e, na sexta-feira (20), das 8h às 13h. O Cefor está situado na Avenida Pedro II, vizinho ao prédio da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Na Paraíba, serão capacitados 29 trabalhadores: dez do Cefor-PB da Secretaria de Estado da Saúde; dez do Centro de Formação de Pessoal para Serviços de Saúde do Rio Grande do Norte (Cefope) e nove da Escola de Saúde Pública de Pernambuco. No total, são dez pólos distribuídos pelas cinco regiões do país. Os outros dois do Nordeste são no Ceará e na Bahia.

O principal objetivo da especialização é fortalecer o processo de gestão nos espaços de formação técnica do SUS. “Com o Cefor-PB sendo um dos pólos, o curso também será uma oportunidade para mostrarmos o trabalho da nossa gestão aos colegas dos estados vizinhos”, ressaltou a diretora geral do Cefor-PB, Márcia Rique Carício.

O Cegepe foi idealizado no decorrer de 2011 a pedido do Ministério da Saúde (MS), que percebeu a necessidade de capacitar os profissionais da rede para articular processos de gestão política e pedagógica no contexto das políticas de saúde, educação e trabalho. Além do MS, participaram da organização do curso, a Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – que será responsável por conferir aos participantes a titulação de especialista lato sensu, a Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e as Escolas de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP) e da USP de Ribeirão Preto. Três Escolas Técnicas também fizeram parte deste trabalho (Ceará, Tocantins e Mato Grosso do Sul).

Organizado em 450 horas, o curso terá duração de um ano e será realizado por meio da modalidade à distância, com suporte do Centro de Apoio à Educação a Distância da UFMG. Quatro núcleos temáticos fazem parte do currículo: o primeiro, com 135 horas, abordará o significado e a importância de uma escola para formar trabalhadores do SUS e para o SUS; o segundo, com 105 horas, tratará das questões pedagógicas, com o Plano Político Pedagógico (PPP), das Escolas Técnicas do SUS (ETSUS); no terceiro eixo, com 120 horas, os participantes terão contato direto com os processos de gestão pedagógica e irão trabalhar com  as estratégias de articulação nas escolas; e o quarto será destinado à avaliação institucional das ETSUS.

 

A dinâmica do curso prevê que o aluno será estimulado a identificar os problemas existentes na escola onde atua e propor planos de intervenção. No fim do curso, terá que apresentar um trabalhão de conclusão (TCC) a partir do cotidiano da escola.

 

Para o secretário de Estado da Saúde, Waldson Souza, a especialização possibilitará a oferta de melhores serviços à população. “O Governo do Estado está empenhado em aprimorar a qualificação profissional dos servidores públicos para que a população tenha um atendimento cada vez melhor”, ressaltou o secretário.