Fale Conosco

14 de maio de 2014

Paraíba sedia curso para profissionais de saúde dos serviços do Processo Transexualizador no SUS



A Paraíba sedia nesta quinta (15) e sexta-feira (16) o Curso de Formação de profissionais de saúde, gestores e gestoras dos serviços do Processo Transexualizador no SUS. O evento será aberto às 9h, no auditório Dr. Jackson Araruna, no Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, e vai reunir profissionais dos estados das Paraíba, Bahia e Pernambuco que possuem serviços especializados no Processo Transexualizador do SUS ou estão em processo de implantação dos serviços, como também representantes dos Centros de Referência em Direitos LGBT.

A diretora geral do Hospital Clementino Fraga, Adriana Teixeira, explicou que entre os temas que serão discutidos durante o curso estão a Portaria Ministerial 2.803, de 19 de novembro de 2013, sobre a implementação ou ampliação no serviço especializado no Processo Transexualizador no Estado, os critérios e fluxos para implantação dos ambulatórios (média e alta complexidade) e a formação dos profissionais de saúde para o acolhimento de travestis e transexuais na rede de atenção. “Esse encontro será uma oportunidade inédita para a universalização das informações sobre a saúde dos travestis e transexuais, uma vez que a Paraíba é pioneira na implantação desse serviço”, disse Adriana Teixeira.

Sérgio Araújo, gerente do ambulatório TT (Travestis e Transexuais) do Clementino Fraga, lembrou que o serviço foi inaugurado em julho do ano passado e já é referência nacional, por ter agregado em um único serviço diversos especialidades. “Hoje são 110 pessoas cadastradas entre travestis, homens e mulheres trans. Desde a inauguração, já foram registrados 750 atendimentos e temos ainda 25 pessoas que aguardam a cirurgia transexualizadora. Desse total, temos quatro homens trans e 21 mulheres trans”, explicou.

Sergio Araújo explicou que uma das primeiras conquistas do ambulatório TT da Paraíba foi a primeira cirurgia de traqueoplastia (raspagem do pomo de adão)  realizada em uma trans da Paraíba via ambulatório TT e que outras duas trans estão realizando os exames pré-operatórios para nos próximos dois meses realizarem também a cirurgia. “Hoje, o nosso ambulatório, além de atender as demandas da Paraíba, também recebe trans de outros Estados, como é o caso da Hellen Brizrt, que veio de Vitória do Espírito santo e está fazendo os acompanhamentos aqui no nosso ambulatório”, lembrou.

Ambulatório – O ambulatório TT foi inaugurado no dia 24 de julho de 2013 e fica situado no anexo do Complexo Hospitalar de Doenças Infecto-Contagiosas Dr. Clementino Fraga. O primeiro atendimento foi realizado no dia 25 de agosto. O ambulatório funciona de segunda a sexta – feira, nos dois turnos: das 7h as 11h e das 13h as 17h. Todo atendimento tem que ter marcação prévia.

O Ambulatório TT é um espaço específico para o atendimento da população de travestis e transexuais dos 223 municípios paraibanos e mais dois estados da região Nordeste: Pernambuco e Rio Grande do Norte. Após encaminhamento da Secretaria de Estado da Mulher e Diversidade Humana, o prontuário é aberto e cada pessoa recebe o cartão do usuário e faz o agendamento para uma das especialidades existentes no ambulatório TT. Os telefones para contato são (083) 3218-5415 e 3218-5416.

O corpo de profissionais do ambulatório e formado por ginecologistas, endocrinologistas, psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e fonoaudiólogos. “O ambulatório do Clementino Fraga é o mais completo do Brasil e se tornou referência para outros estados”, destacou Adriana Teixeira.

Adriana Teixeira lembrou que com a implantação desse serviço houve uma ampla discussão entre o Governo do Estado, por meio das Secretarias da Saúde e da Mulher e Diversidade Humana com o movimento LGBT, que já vinha reivindicando a necessidade de um serviço para cuidar da saúde integral desta população. “A inauguração do ambulatório representou um momento importante na saúde da Paraíba, que é a igualdade de direitos que está sendo oferecida à população LGBT”, afirmou.