Fale Conosco

27 de fevereiro de 2012

Paraíba reduz em 88,3% casos notificados de dengue em 2011



Os casos notificados de dengue em 2012 se mantêm com valores inferiores aos do ano de 2011. Segundo dados do Boletim Epidemiológico de número 7, que compreende o período de 1º janeiro a 24 de fevereiro, em termos percentuais, a redução neste ano é de 88,3% em relação à igual período de 2011.

A gerente executiva de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Júlia Vaz, analisou que os dados mostram que a ocorrência de casos em 2012 está abaixo da média esperada para o período, o que representa um resultado positivo para o Estado. São 250 casos este ano contra 2.127 do passado.

Mesmo com a doença estando sob controle, o Governo do Estado continua realizando ações de caráter preventivo e educativo e mais recentemente adotou as crianças como atores para disseminação de informações de prevenção e combate à dengue.

Júlia explicou que o trabalho é realizado por meio do projeto  “Olimpíada de combate Dengue”, que envolve crianças na faixa etária de7 a10 anos de idade. O material consta de um jogo de tabuleiro, um quebra-cabeça e um jogo da memória, todos enfocando as formas de prevenção e combate à doença. “Com este trabalho, esperamos que nossas crianças saibam como se prevenir contra a doença e cobrem dos seus pais, vizinhos e colegas bons hábitos e costumes no combate aos criadouros do vetor, e outras formas de prevenção à doença”, comentou Júlia Vaz.

Ela destacou também que esse trabalho educativo é importante por criar desde cedo nas crianças a consciência do cuidado de combate à doença e a necessidade das ações de vigilância dos focos do mosquito. “Dessa forma, vamos educar as crianças e ajudá-las a crescer com a responsabilidade de também contribuir para o combate à doença”, frisou.

Conforme Júlia, para que o trabalho de combate e prevenção à dengue alcance resultados positivos é necessário a união do Estado e municípios, envolvendo as Secretarias de Educação, Saúde, Infraestrutura e também os órgãos responsáveis pela limpeza urbana. “Quanto à contribuição da sociedade, é preciso que as pessoas facilitem a entrada dos agentes de saúde em suas residências para que eles possam desempenhar o seu trabalho”, ressaltou.

Prevenção – Algumas medidas simples e de prevenção devem ser adotadas pela população, como tampar as caixas d’água; guardar os pneus em local coberto e seco; não deixar que as garrafas acumulem água, colocando-as sempre com a boca para baixo; observar sempre as calhas para ver se existe água acumulada; e colocar areia nos pratos das plantas.

Júlia Vaz explicou que o agente ambiental realiza um papel importante com a identificação e destruição dos criadouros do mosquito, ao mesmo tempo em que orienta as pessoas a adotarem as medidas de prevenção à doença, mas afirmou ser preciso que o morador ajude o agente, levando-o aos pontos onde há a possibilidade de o mosquito se reproduzir. Ao identificar esses locais, o agente deve destruir o criadouro ou colocar o praguicida para matar a larva do mosquito.

Confira os novos dados da dengue:

Casos notificados – 250

Dengue clássica – 23

Dengue com complicações – 01

Febre hemorrágica – 01

Óbitos por dengue – 00

Descartados – 58

Em investigação – 167

Agenda da semana:

27 e 28/02/2012 (manhã e tarde) – Oficina para atualização no novo Manejo Clinico da Dengue com a presença do Ministério da Saúde para 200 profissionais médicos e enfermeiros de todo o estado – Hotel Ouro Branco.

28 /02/2012– Visita ao Complexo Hospitalar Clementino Fraga para apresentação ao Ministério da Saúde nova ala destinada ao atendimento dos pacientes com suspeitas de dengue.