Fale Conosco

29 de março de 2012

Paraíba intensifica ações para ser área livre da febre aftosa



O Governo do Estado está intensificando as ações para que a Paraíba mude o status de zona de risco médio da febre aftosa e alcance o de zona livre com vacinação. O trânsito de produtos de origem animal e vegetal, por exemplo, tem sido fiscalizado com mais rigor desde que o governador Ricardo Coutinho entregou, na sexta-feira passada (23), 17 caminhonetes Ford Ranger e seis veículos Focus à Defesa Agropecuária.

“Por meio de barreiras fixas e móveis, montadas em regiões estratégicas, a Defesa evita que pragas e doenças entrem no Estado”, ressaltou o titular da Secretaria de Estado da Agropecuária e da Pesca (Sedap), Marenilson Batista. Segundo ele, o Governo também firmou parceria com as polícias Rodoviária Federal e Estadual nas ações das barreiras sanitárias e investiu na informatização dos escritórios das Unidades Locais de Sanidade Animal (Ulsav) “Todas essas ações são importantes para sanidade animal no Estado” acrescentou.

De acordo com o secretário, a mudança de status de área de risco médio para área livre de aftosa com vacinação é uma exigência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “Com isso, o rebanho paraibano será valorizado no Estado e em outros mercados”, disse.

Alinhamento – Nessa terça-feira (27), o secretário executivo da Agropecuária e Pesca, Rômulo Montenegro, participou, em Brasília, da última reunião do Mapa com representantes dos estados de Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pará, Pernambuco e Rio Grande do Norte, com o objetivo de acompanhar e discutir ações e estratégias que ampliem a zona livre de febre aftosa com vacinação do país, no menor tempo possível.

O planejamento da Defesa Agropecuária paraibana está alinhado com as diretrizes do Mapa, dentro do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa). “Com a atuação eficiente, o serviço sanitário estadual vai permitir que a Paraíba atinja o status de livre de febre aftosa com vacinação. A determinação do governador Ricardo Coutinho é fazer todas as adequações para que a Paraíba também possa acompanhar os demais estados do Nordeste” disse Rômulo.

Segundo Marenilson, o fortalecimento da Defesa Agropecuária tem sido um das prioridades da gestão. Duas vezes por ano, o Estado realiza campanha de vacinação do rebanho bovino e bubalino contra febre aftosa. A Paraíba registrou o último foco da doença no ano 2000, quando 12 animais foram detectados com a febre aftosa e sacrificados imediatamente, na zona rural entre as cidades de Araçagi e Guarabira.

Estrutura – Nas divisas do Estado, os postos de fiscalização já dispõem de técnicos plantonistas 24 horas, fiscalizando a entrada e a saída de animais e produtos de origem animal e vegetal. Para reforçar a vigilância, em 2011 o Governo contratou e treinou 67 técnicos. Atualmente, existem em funcionamento 27 escritórios e seis postos fixos de vigilância agropecuária.

A Sedap está também revisando a legislação atual, para encaminhar propostas à Casa Civil do Governador, visando melhorar a estrutura do sistema de defesa agropecuária do Estado, que é composta pelos setores de Defesa Animal, Defesa Vegetal e de Inspeção de produtos e subprodutos de origem animal. A Gerencia Operacional de Defesa Animal é composta dos setores de Epidemiologia, de Trânsito, Cadastro de Estabelecimentos e Eventos Agropecuários.

A Defesa Agropecuária implantou e atualizou o Sistema de Informação da Defesa (Sidagro), que controla as fichas de cadastro destinadas ao trânsito de animais, vegetais, produtos e subprodutos, tanto nas Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal quanto nos postos fixos distribuídos pelo Estado. Com a informatização do sistema de cadastro, a facilidade de acesso às informações agilizará os processos de emissão das Guias de Trânsito Animal e Vegetal (GTA) e as Permissões de Trânsito Vegetal (PTV).