Fale Conosco

26 de março de 2014

Paraíba elabora projetos para desenvolver Área de Interesse Comum entre os estados da PB e PE



A Área de Interesse Comum (AIC) entre os estados da Paraíba e Pernambuco está despontando como a grande oportunidade de desenvolvimento do Estado nos próximos anos. Com a instalação de fábricas em ambos os lados da fronteira, a área se apresenta como fonte de desenvolvimento econômico e de geração de empregos para a Paraíba. De acordo com o secretário do Estado de Planejamento e Gestão, Thompson Mariz, projetos multinstitucionais serão estruturados para garantir o desenvolvimento econômico do Estado com foco na área.

“A melhor oportunidade que se tem, hoje em dia, em termos de desenvolvimento, de empregos e de oportunidades no Nordeste brasileiro é justamente a fronteira entre Pernambuco e Paraíba, com a instalação dos polos automobilístico, farmacoquímico e vidreiro do lado de lá e do polo cimenteiro do lado de cá”, afirmou.

Com a instalação de cinco novas grandes fábricas de cimento em 2014 na Paraíba, o Estado se consolidará como o segundo maior produtor de cimento no país – a expectativa é de que passem a ser produzidas dez milhões de toneladas de cimento por ano. Este potencial alimentará, entre outros, a cadeia de concreto e pré-moldados, construção civil industrial e residencial, além de todo setor imobiliário.

Segundo o secretário Thompson Mariz, como as distâncias são favoráveis à Paraíba, o Estado será, também, muito beneficiado com o deslocamento de pessoas que irão trabalhar em Pernambuco e virão morar na Paraíba. “Iremos realizar uma ação multinstitucional, tanto para qualificar jovens e adultos da nossa região, como também para colocar em prática outros projetos que garantam o desenvolvimento econômico da Paraíba tendo como foco esse novo polo”, elucidou o secretário.

Ainda de acordo com ele, em um primeiro momento, será realizada uma reunião até o final do mês de abril com os diversos secretários do Estado para elaboração de um plano emergencial. “A assessoria técnica da Seplag está elaborando um cronograma de reuniões com as diversas secretarias do Estado, a exemplo da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico e a Secretaria de Educação. Precisamos, primeiro, fazer um diagnóstico das carências que demandarão soluções de curto, médio e longo prazo”, explicou.