Fale Conosco

2 de junho de 2014

Paraíba é o único estado nordestino que atinge meta de vacinação contra a gripe



A Paraíba é o único estado do Nordeste que atingiu a meta de vacinação contra a gripe. Até a manhã desta segunda-feira (2), apenas os estados do Amazonas (82,74%), Pará (82,85%), Paraíba (80,22%), Espírito Santo (83,97%), Minas Gerais (110,09%), Paraná (87,25%), Rio Grande do Sul (83,53%), Santa Catarina (105,23%) e Goiás (88,80%) atingiram a meta de 80% estipulada pelo Ministério da Saúde.

Os números do estado até o momento, por público alvo, são: 211.642 crianças (79,87%); 63.076 trabalhadores da saúde (90,32%); 35.184 gestantes (79,81%); 6.725 puérperas (92,89%); indígenas 12.660 indígenas (99,69%) e 356.938 idosos (80,21%), que somam um total de 686.225 imunizados na Paraíba.

Segundo a chefe do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Isiane Queiroga, os municípios que ainda não atingiram a meta devem continuar vacinando. “Ainda estamos com o número de 82 municípios que ainda não atingiram a meta de 80%. A orientação para eles é que continuem vacinando e realizando busca ativa dos não vacinados, a fim de alcançar a meta”, disse.

A 16ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza teve início em 22 de abril, tendo 26 de abril como Dia Nacional de Mobilização. O seu encerramento, que seria dia 23 de maio, foi prorrogado até o último dia 30. Esta foi a segunda prorrogação. A primeira data limite era dia 9 de maio. Desde o início da campanha, a Paraíba vinha apresentando um índice de cobertura muito próximo ao nacional, que hoje está em 81,40%.

Saiba mais – A novidade da campanha deste ano foi a ampliação da faixa etária infantil para crianças de seis meses a menores de cinco anos. No ano passado, o público infantil foi de seis meses a menores de dois anos. Também são imunizadas pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais também devem se vacinar. Para esse grupo não há meta específica de vacinação.