Fale Conosco

18 de março de 2014

Paraíba apresenta maior número de empregos formais do país



A Paraíba apresentou aumento de 5,94% nas vagas de emprego formal, nos últimos 12 meses. O estado teve a melhor evolução do país, quando levado em conta o número de habitantes. Esse percentual significa a criação de 22,3 mil novas oportunidades de trabalho. Além disso, o mês de fevereiro de 2014 registrou o melhor desempenho dos últimos 11 anos. Os setores de serviço e comércio foram os responsáveis pelos resultados. Com isso, quebra-se o ciclo histórico de quedas no número de postos de trabalho comuns no início do ano. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), anunciados pelo Governo Federal.

O secretário executivo de Indústria e Comércio do Estado, Marcos Procópio, ressaltou o desempenho paraibano. “Esse é o resultado da política do Governo do Estado, que vem investindo na matriz de serviços, trazendo as empresas de Call Center, e na política de elevação do poder aquisitivo do paraibano, efetuada em todas as esferas institucionais, seja ela estadual, municipal e federal”, afirmou. “Essa somatória de investimentos converge no propósito de gerar mais postos de trabalho. Os números do Caged traduzem os esforços feitos ao longo dos últimos três anos”, acrescentou.

Procópio também lembrou que a Paraíba encerrou a trajetória de queda de empregos dos últimos 11 anos. “Historicamente, a Paraíba registrava queda no número de empregos em janeiro e fevereiro, por causa das demissões dos empregos temporários no fim do ano e das sazonalidades da agricultura e da indústria. No entanto, agora, quebramos esse ciclo negativo e começamos o ano com crescimento e um desempenho que é destaque no País”, analisou.

Outro dado interessante do Caged é o desempenho da Paraíba entre os estados nordestinos, com relação ao saldo entre admitidos e desligados em fevereiro de 2014. Nesse quesito, o estado ficou na terceira melhor colocação da Região em números absolutos, sem levar em consideração o número de habitantes. Ou seja, foram 15.335 registros de pessoas admitidas e 13.950 demitidas, com um saldo positivo de 1.385. O Estado está atrás da Bahia (7.420) e do Ceará (7.231), que possuem uma população maior.

Ainda com relação aos empregos celetistas criados em fevereiro na Paraíba, o saldo é considerado recorde para o período. Ele corresponde a um aumento de 0,35% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Os setores que mais contribuíram com esse desempenho foram o de Serviços, com 1.731 postos de trabalho, e o de Comércio, com 865 mais oportunidades.