João Pessoa
Feed de Notícias

Paraíba adere ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar

terça-feira, 8 de novembro de 2011 - 12:58 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

O governador da Ricardo Coutinho assinou na noite desta segunda-feira (7), o Termo de Adesão da Paraíba ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan) com objetivo formular e implementar políticas e planos de segurança alimentar e combate à miséria no Estado.

Com a assinatura, a Paraíba é um dos cinco primeiros Estados brasileiros a assinarem o termo de compromisso com o Governo Federal.

Durante a abertura da 4ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, no Centro de Convenções de Salvador (BA), a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campelo lançou o primeiro Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional para o triênio 2012/2015.

Além do governador da Paraíba, os governadores Jacques Wagner (Bahia), Camilo Capiberibe (Amapá), Washignton Luiz (Maranhão) e o vice-governador César Messias (Acre) assinaram o termo de compromisso para a melhoria da qualidade da alimentação dos brasileiros.

Na frente – O governador Ricardo Coutinho anunciou que a Paraíba sairá na frente com o lançamento do Plano Estadual de Combate à Fome no dia 16 deste mês com a visita da ministra Tereza Campelo ao Estado.

Ricardo destacou que desde o início do Governo vem trabalhando com prioridade na erradicação da miséria no Estado com forte investimento na agricultura familiar e na inclusão produtiva por meio do projeto Cooperar, que após três anos parados, liberou R$ 7,5 milhões este ano em linhas de crédito dentro do Empreender PB para fortalecer os Arranjos Produtivos Locais (APL) e a promoção da compra direta da agricultura familiar para estimular a produção nos municípios.

“Estamos focados na redução da pobreza com a inclusão produtiva para que as pessoas tenham a chance de construirem um futuro melhor através do seu trabalho”, completou.

A ministra Tereza Campelo destacou a importância do Governo Federal, dos Estados e municípios estarem integrados ao Sisan. O planejamento das políticas públicas nesse setor têm como meta retirar os 16 milhões de  brasileiros da situação de miséria.

Ela disse que 23 Estados estão em condição de aderir ao Sisan e construírem seus planos de segurança alimentar.  A ministra destacou o Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Brasil sem Miséria. Segundo ela, trata-se de iniciativas fundamentais por colocarem o combate à fome no centro da agenda nacional desde o governo Lula.

“A primeira grande vitória é ter colocado dentro da agenda nacional o problema da fome, construindo políticas estruturantes. A segunda grande questão é a construção e valorização do fortalecimento da agricultura familiar e a terceira é estarmos construindo no Brasil um exemplo de desenvolvimento econômico garantindo a inclusão”, completou a ministra.

Renato Maluf, presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea), comentou a satisfação de 23 Estados terem condições de aderirem ao Sisan, destacando que os governadores do Maranhão, Paraíba, Amapá, Acre e Bahia já assinaram o pacto de combate à fome e garantia de uma alimentação de qualidade.

“Estamos coroando um amplo processo com a participação de mais de 75 mil pessoas, de mais de três mil municípios do país. Essa mobilização reúne 1,6 mil delegados e cerca de 400 convidados. Temos que reunir esforços para articular o Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional com o Plano Brasil Sem Miséria desta forma o Brasil tem todas as condições de extirpar a extrema pobreza e a fome”, disse o representante do Consea.

O evento – A conferência, que prossegue até esta quinta-feira (10), tem como objetivo de articular gestores de todas as esferas públicas do país e juntamente com as entidades civis impulsionem ações e políticas públicas na direção do provimento das condições para que a população tenha o direito a uma alimentação saudável.

Mais de 2 mil delegados e de todos os estados do pais e 180 representantes internacionais participam da conferência. A Paraíba participa com 42 delegados eleitos durante a etapa estadual do evento, representando Governo do Estado, prefeituras e entidades da sociedade civil organizada.