João Pessoa
Feed de Notícias

Paraíba adere ao banco de dados nacional sobre criança e adolescente

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009 - 14:57 - Fotos: 
A Secretaria Nacional de Direitos Humanos autorizou o pedido de suplementação de recursos no valor de R$ 202 mil para compra de computadores e informatização de todos os 223 Conselhos Tutelares da Paraíba. O pedido foi enviado pela secretária de Desenvolvimento Humano, Giucélia Figueiredo, que conseguiu aumentar o valor total do convenio para R$ 453 mil. A informatização vai incluir a Paraíba no Sistema de Informações para Infância e Adolescência (Sipia).

“Com esse aumento de recursos ampliamos a informatização para os 223 municípios da Paraíba, que receberão computadores e capacitações para os conselheiros que deverão alimentar o banco de dados do Sipia”, disse Giucélia.

A instalação do Sipia na Paraiba significa a adesão do Estado no Banco de Dados Nacional da Secretaria Nacional de Direitos Humanos sobre a violação dos Direitos da Criança e do Adolescente em todo o país.

“Sem sombra de duvidas o banco de dados se transformará em um instrumento de auxilio para nossas gestões na construção e fortalecimento de políticas públicas mais acertadas para o atendimento de nossas crianças e adolescentes”, disse Giucélia.

Segundo ela, o Governo do Estado está adquirindo equipamentos de última geração para equipar, na primeira etapa, 105 Conselhos Tutelares de municípios do interior do Estado, além de oferecer capacitação na área de informática para os Conselheiros Tutelares. Os conselheiros tutelares das Regiões de Mangabeira e Praia, em João Pessoa, já foram capacitados.

SIPIA- O sistema de registro e tratamento de informações gere dados e estatísticas confiáveis para subsidiar a adoção de decisões e ações governamentais, contribuindo com riqueza de subsídios para a elaboração, proposição e implementação de políticas públicas adequadas e eficazes ao segmento infanto-juvenil, tornando viável e com maiores impactos positivos o cumprimento dos preceitos estabelecidos na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Janaina Araújo, da Assessoria de Imprensa da SEDH