Fale Conosco

23 de fevereiro de 2016

Palestra aborda a restauração dos azulejos do Palácio da Redenção



Os históricos azulejos portugueses, pertencentes ao acervo do Palácio da Redenção, serão restaurados até o final deste ano. A obra de recuperação do Painel será inspecionada pelo restaurador Estácio Fernandes, especialista em azulejos pela Universidade de Lisboa (Portugal). No entanto, antes de iniciar os trabalhos, o profissional vai esmiuçar o tema, numa palestra que será realizada na tarde desta quarta-feira (24), em João Pessoa. Tendo como tema “Restauro de Azulejo: Cachoeira, na Bahia, e Palácio do Governo da Paraíba”,  o evento é aberto ao público, e acontece a partir das 15h, no Auditório do INSS, na Rua Barão de Abiaí, 73, Centro de João Pessoa. A palestra é uma realização por meio de parceria entre o Iphaep e a Construtora Civil Industrial LTDA, com o apoio do INSS Cultural.

Segundo Piedade Farias, a restauração de um bem artístico e histórico requer soluções técnico-científicas que preservem as suas características originais específicas. “Tais cuidados compõem a prática de trabalho do restaurador; um profissional capacitado para diagnosticar os danos, para, através desse diagnóstico, preveni-los ou saná-los com as soluções e materiais adequados”, disse a restauradora paraibana.

Quem é – Estácio Fernandes é baiano. Restaurador e museólogo, ele tem extensa experiência em Restauração de Azulejos, com diversas obras realizadas. Foi aluno de José Méco e Dora Alcântara (reconhecidos mundialmente pelo conhecimento em Azulejaria), quando realizou Especialização na Universidade de Lisboa, Portugal. O profissional veio a João Pessoa para assessoramento técnico aos serviços de restauração do Painel em azulejos portugueses do Palácio do Governo da Paraíba.

“Por meio desta palestra, iremos  ter o conhecimento dos métodos e processos de intervenção utilizados no restauro de azulejos realizado na Bahia, como também, no restauro do Painel de Azulejos localizado no Palácio do Governo. Importante patrimônio cultural da nossa cidade, que está sendo recuperado por meio de compensação, por realização de empreendimento privado em área de entorno protegido pelo Iphaep”, ressaltou a diretora executiva do Iphaep, Cassandra Figueiredo.

A previsão é de que a recuperação da azulejaria portuguesa, um bem móvel e integrado pertencente ao acervo do Palácio da Redenção, esteja concluída até o final deste ano.