João Pessoa
Feed de Notícias

Pacientes do Juliano Moreira expõem peças de artesanato no Espaço Cultural

segunda-feira, 21 de março de 2016 - 09:37 - Fotos:  Secom-PB

Humanização e inclusão social foram os objetivos da participação dos pacientes do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, na feira de artesanato promovida pela Fundação Espaço Cultural (Funesc), na tarde desse domingo (20), em João Pessoa. A ação é fruto da parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde e a Funesc, que vai permitir a expansão do projeto de humanização Beija-Flor, desenvolvido pelo Juliano Moreira. Com um estande montado no local, os usuários expuseram e venderam peças produzidas por eles mesmos dentro do Complexo. A renda obtida com a venda será revertida para os autores das obras.

Na feira, os visitantes puderam apreciar e adquirir diversos produtos, como quadros, pinturas, almofadas, colchas, garrafas decoradas, bolsas, peças decorativas, entre outros. Para a chefe do Núcleo de Ações Estratégicas do Juliano Moreira, Ana Karina de Almeida, as peças são resultado do trabalho realizado nas oficinas terapêuticas do Complexo.

“Lá no Juliano Moreira temos três espaços que trabalham com arte: o Espaço Luz, onde os pacientes podem expressar suas angústias e dores através da arte, normalmente com papel machê ou pinturas; o Espaço Céu, onde transformam material reciclado em arte; e por fim, temos o Espaço Arco-Íris, onde trabalhamos especificamente com atividades pedagógicas, como leituras. Esse tipo de trabalho ajuda no processo de estabilização do quadro dos pacientes, além de trabalhar sua autoestima. Lá, eles podem se expressar livremente, isso faz com que fiquem mais calmos. Além disso, muitos deles continuam fazendo essas atividades artísticas quando retornam para casa”, explicou Ana Karina.

Autora de algumas peças, a paciente Josicleide Rufino, estava muito animada com a exposição, e mostrou desejo de trabalhar com arte. “Fazer esse trabalho é uma maneira da gente se comunicar com as pessoas. Depois de começar a fazer esse trabalho manual, minha recuperação começou a melhorar, me envolvi mais com as pessoas, me senti mais livre, melhorei a mente. Sem dúvidas, quero trabalhar com isso, com arte, pretendo futuramente vender e viver da minha arte”, disse Josicleide.

O artista plástico Ian Pontes, que tem trabalhos reconhecidos nacionalmente, visitou a feira e se encantou com os trabalhos. “Vi traços de verdadeiros artistas, porque isso está na alma deles, é algo interior. Estou muito feliz e quero realmente poder participar, ajudando esses pacientes, ensinando novas técnicas, para que eles possam crescer e evoluir na arte”, afirmou.

A secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath, ressaltou a importância da inclusão social dos pacientes. “O principal objetivo é a inclusão social. Dentro do processo de igualdade onde nós buscamos resgatar essas pessoas, estamos mostrando por meio da produção artística, o melhor que o ser humano pode produzir. Esses próprios pacientes estão aqui na expansão do Projeto Beija-Flor, que teve início dentro do Complexo Psiquiátrico, e com a parceria com a Funesc, eles terão acesso, de forma igualitária, às atividades de circo e a escola de música, tudo isso devido ao seu potencial artístico, que está sendo desenvolvido dentro das práticas integrativas do Complexo Juliano Moreira. Isso mostra que o trabalho já valeu à pena”, destacou Roberta Abath.