Fale Conosco

10 de junho de 2009

Orquestra Sinfônica Jovem realiza concerto, nesta quinta-feira



A Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) executará peças inéditas, com primeira audição mundial, de cinco novos compositores paraibanos, alunos da classe de composição e concluintes dos cursos de extensão, graduação e pós-graduação em Música pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

A apresentação da Orquestra Jovem acontecerá nesta quinta-feira, dia 11, às 20h30, no Cine Bangüê do Espaço Cultural José Lins do Rego, com entrada franca. Este concerto faz parte do Projeto Quintas Musicais da Funesc, e é realizado com apoio do Governo do Estado em parceria com a UFPB através do Laboratório de Composição Musical (COMPOMUS) do Departamento de Música.

Este é o 4º concerto da Orquestra Jovem na temporada 2009. Nesta apresentação, serão executadas as seguintes peças dos novos compositores: de Marcos Toniolo, “Tutankamon”; de Leonardo Limongi, “Circus”; de Wander Vieira, “Transmutações I”; de Arimatéia de Melo, “Rarefeitos”; e de Ozébio Rolim, “Deux Idées (Duas Idéias)”. Como convidado especial o maestro Duda, que terá duas peças executadas: “Suíte Nairam para trompete e orquestra”, com solo do seu neto Nairam Simões, e “Sobrinhando”, com os solistas convidados: Airton Muzel Benck e Nairam Simões. A regência será do maestro Luiz Carlos Durier.

As obras dos alunos do COMPOMUS expõem um panorama variado de linguagens musicais e processos composicionais como, por exemplo, referências da escala hexatônica, procedimentos modais, texturas de sons, pontilhismo e de massas sonoras.

Luiz Carlos Durier, regente titular da Orquestra Jovem explica o projeto Novos Compositores executado pela Sinfônica em parceria com a UFPB: “Esta parceria bem sucedida já é tradição estabelecida pelo trabalho criativo e sério da OSJPB. Essa integração reflete uma renovada visão do fazer musical local, que certamente ajudará a projetar a Paraíba como um expoente não somente da música popular, mas também da música de concerto”.

A peça Tutankhamon foi composta a partir da metáfora da descoberta da múmia do referido Faraó do Egito Antigo. A peça apresenta uma tensão crescente até a explosão em um tutti orquestral que assinala o seu término.

Circus faz uma alusão ao mundo mágico circense. Na obra, o compositor busca retratar esta manifestação da cultura popular, contrastando momentos de suspense e explosiva alegria.
Transmutações I é a primeira de um ciclo de três peças orquestrais, denominado de Euclidianas. A composição partiu de procedimentos da música textural.

O comportamento dos agregados sonoros, que moldam a composição, é determinado por figuras geométricasA peça Rarefeitos foi concebida como um concerto para percussão e orquestra sinfônica. Divide-se em blocos sonoros, utilizando diversos efeitos. A peça foi trabalhada a partir de procedimentos modais, além da utilização de um cromatismo livre.

Deux Idées (“Duas Idéias” em francês) surgiu de estudos orquestrais trabalhados, basicamente, a partir de uma escala hexatônica, além de procedimentos seriais motívicos. Duas idéias opostas convergindo para o desenvolvimento de uma única.

Maestro Duda compôs a Suíte Nairam para trompete e orquestra em três movimentos, a inspiração está na música popular brasileira. Os três movimentos são: Samba-Canção, Valsa e Frevo. Esta peça foi dedicada ao seu neto Nairam Simões.

Magda Rego da Funesc