João Pessoa
Feed de Notícias

Orquestra Sinfônica Jovem abre temporada 2016 na próxima quinta-feira

quinta-feira, 19 de maio de 2016 - 11:30 - Fotos: 

A Orquestra Sinfônica Jovem abre a temporada de concertos 2016 na próxima quinta-feira (26), às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, na Fundação Espaço Cultura, em João Pessoa. No repertório estão composições de Heitor Villa-Lobos, Nikolai Rimsky-Korsakov, Emmanuele Galea e Ottorino Respighi. A regência será de Luiz Carlos Durier. Já o solista é Marcel Marques Amorim. A entrada é gratuita. O próximo concerto da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba será dia 16 de junho.

No concerto do dia 26, a Sinfonietta n. 1 (de Villa-Lobos) tem o predomínio de temas melódicos. Ela foi composta em 1916 e possui três movimentos. Estreou em São Paulo, em abril de 1922, cerca de dois meses após a Semana de Arte Moderna, da qual o compositor fora o maior destaque entre os músicos participantes. Na ocasião, foram executados somente dois de seus movimentos. A Sinfonietta nº 1 foi editada e publicada, nos EUA, pela Southern Music Publishing, cuja partitura serviu como referência e base inicial. A obra teria sido feita em homenagem à memória de Mozart.

Já o Concerto para Trombone, de Nikolai Rimsky-Korsakov, foi escrito em 1877. O concerto é composto por três movimentos, Allegro Vivace, Andante Cantabile e Allegretto. A peça dura aproximadamente dez minutos. Este concerto foi composto para um companheiro oficial da Marinha russa que se chamava Leonov e estreou em um concerto da guarnição de Kronstadt em 16 de março de 1878. A estreia americana aconteceu em junho de 1952 no The Mall no Central Park, na cidade New York com Davis Schuman no trombone e a Goldman Band.

A programação segue com a conhecida música de igreja. A Sinfonia Pastorale, de Emmanuele Galea, tem uma linha melódica muito peculiar. Nascido em Malta, Galea foi bispo da Igreja Apostólica Romana e morreu em 1974. A Sinfonia Pastorale é muito executada em concertos natalinos, sendo considerada uma das mais belas músicas de Natal.

Suíte de Danças e Árias Antigas n. 2 é, talvez, a obra mais conhecida de Ottorino Respighi, maestro italiano, falecido em 1936. Ele também tem como destaque a Trilogia Romana. A suíte foi feita em um grande espaço de tempo, nos anos de 1917, 1924 e 1931. Suas composições misturam impressionismo, neoclassicismo e pós-romantismo em obras com sentido de luxúria e sensualidade, com sons exóticos e ricos.

Solista - Marcel Marques Amorim, natural de Aracaju-SE iniciou seus estudos de música no Conservatório de Música de Sergipe (CMS), onde estudou o básico e o avançado em trombone. Após dois anos foi aceito pela Banda Sinfônica do Estado de Sergipe (SECBANDA). No mesmo ano em que foi aprovado na banda, foi também aprovado na Orquestra Sinfônica Jovem de Sergipe, regida pelo maestro Ion Bressan. Participou de vários grupos, como Big Band, Quartetos, Quintetos, Trios, Grupos de Metais, Bandas de Forro, Axé, Bandas Bailes, Orquestras de frevo pelos estados de Sergipe, Bahia, São Paulo Rio de Janeiro e etc.

Em 2008, foi aprovado para a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Sergipe (OSUFS). No mesmo ano participou de vários projetos de música realizados no Estado de Sergipe. Em 2012 foi selecionado para a Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE), como primeiro trombone assistente, regida pelo maestro Guilherme Mannis. Participou de vários festivais nacionais e internacionais. Em 2014, foi aprovado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no curso de bacharelado em música (práticas interpretativas), onde participa atualmente de várias atividades. No mesmo ano foi aceito na Rubacão Jazz-Big Band, regida pelo maestro e professor Dr. Alexandre Magno. Dois anos depois, foi aprovado na Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) como primeiro trombone e solista da temporada de 2016.

Regente - Natural de João Pessoa, Luiz Carlos Durier é o regente titular da OSPB Jovem há 17 anos. O trabalho direcionado para jovens músicos em formação tem reconhecimento em todo o Brasil. As suas interpretações cativantes e criativas produzem sempre sucesso de público e crítica. Sob sua batuta já se tornou tradição a Jovem apresentar estreias mundiais com excelente qualidade técnica e artística. Em setembro de 2013 foi nomeado diretor artístico e regente titular da OSPB.

Na UFPB concluiu o ensino superior de música nos cursos de Licenciatura e Bacharelado. Desde que chegou a Escola de Música Anthenor Navarro (Eman), em 1991, lidera atividades de educação musical ensinando Musicalização, Viola e Música de Câmara e Regência. Participou das XIX e XX Semana da Música da UFRN como professor da classe de regência. Na UEPB está realizando o Curso de Especiação Em Fundamentos da Educação – Práticas Pedagógicas Interdisciplinares.

Como regente convidado, conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba.

Durante a formação como regente, foi aluno de Wolfgang Groth, Nelson Nuremberg e Guilhermo Scarabino. Desde 2005 estuda com o maestro Osvaldo Ferreira. Participou de Master Class com os maestros Kurt Masur e, recentemente, com Dante Anzolini. Ainda teve como mestres José Siqueira, José Alberto Kaplan, Iara Bernette, Violeta de Gainza, Guilhermo Campos e Horácio Schafer.

Conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marines e sua Gente, do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Tem acompanhado com frequência artistas populares com a OSPB e OSPB Jovem em grandes concertos populares, a exemplo de Angela Ro Ro, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione “Marrom”, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, Dominguinhos e Zélia Duncan, sempre com grande sucesso de público e crítica. No ano de 2012 recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo brilhante desempenho profissional frente à OSPB.

 

Repertório

Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959)

Sinfonietta n. 1 A Memória de Mozart

Allegro justo

Andante non troppo

Andantino – Molto allegro

 

Nikolai Rimsky-Korsakov (1844 – 1908)

Concerto para trombone

Allegro vivace – Andante cantabile – Allegro

 

Solista: Marcel Marques Amorim

 

Intervalo

 

Emmanuele Galea (1790 – 1850)

Sinfonia Pastorale – Sonata da Chiesa

Orquestração: Mauro Faruggia

 

Ottorino Respighi (1879 – 1936)

Suíte de Danças e Árias Antigas n. 2

Laura Soave

Danza Rustica

Campanae Parisienses – Ária

Bergamasca