Fale Conosco

3 de junho de 2009

Orquestra Sinfônica faz concerto com regente convidado



A Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB) faz concerto oficial nesta quinta-feira (4), às 20h30, no Cine Bangüê do Espaço Cultural José Lins do Rego, em Tambauzinho. Para está apresentação foi convidado o maestro João Guilherme Ripper, do Rio de Janeiro. A entrada é franca.

O repertório para este concerto, que faz parte do Projeto Quintas Musicais da Funesc e tem apoio do Governo do Estado para sua realização, terá as seguintes composições executadas: “Variações in Memorian” de j. G. Ripper; “Sinfonia nº 35, em Ré M, k 385 ‘Haddnem”, de W. A. Mozart: “Moldária – Poema Sinfônico” de B. Smetana; e “Valsa do Imperador, op 437” de J. Strauss. 

João Guilherme Ripper nasceu no Rio de Janeiro. Graduou-se e cursou Mestrado em composição e regência na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Obteve o título de Doctor of Musical Arts em Composição na The Catholic University of América, em Washington D.C. Estudos adicionais incluem regência orquestral em Buenos Aires, na Argentina e “Économie et Financement de la Culture” na Université Paris-Dauphine, na França.

Como regente, dirigiu diversas orquestras como Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra Sinfônica de Brasília, Orquestra da Rádio Cultura de SP, Orquestra Sinfônica da Província de Cuyo (Arg.) e Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFRJ. Fundou e foi Diretor Artístico da Orquestra de Câmara do Pantanal, em Mato Grosso do Sul, responsável pela criação das temporadas regulares de concertos naquele estado.
 
É autor de diversas obras sinfônicas e de câmara apresentadas no Brasil e exterior. Em 2008, a Escola de Música da Universidade de Minnesota nos EUA apresentou um concerto dedicado à sua música de câmara. No mesmo ano, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo encomendou e estreou a obra "Desenredo", para solistas, coro e orquestra.

Foi ainda o compositor em residência do 39o. Festival Internacional de Campos do Jordão, onde diversas de suas obras orquestrais e de câmara foram apresentadas, incluindo "Olhos Capitu", para soprano, narrador e orquestra, encomendada para o festival. É também membro da Academia Brasileira de Música, onde ocupa a cadeira n. 30, cujo patrono é Alberto Nepomuceno.

Magda Rego, da Assessoria da OSPB