João Pessoa
Feed de Notícias

Orquestra Sinfônica da Paraíba lança temporada 2015 nesta quinta-feira

quinta-feira, 5 de março de 2015 - 09:00 - Fotos:  Roberto Guedes/Secom-PB

Apresentações em diferentes regiões paraibanas, 19 concertos oficiais, 19 didáticos e convidados especiais de destaque nacional e internacional no cenário da música farão parte da temporada 2015 da Orquestra Sinfônica da Paraíba, que começa nesta quinta-feira (5) e segue até dezembro. Neste ano, a música brasileira e a paraibana devem ganhar destaque especial na programação da OSPB, e como já foi adotado pelo maestro Luiz Carlos Durier, regente oficial da Orquestra, o público pode esperar estreias nacionais de algumas obras sinfônicas e mais outras surpresas.

O primeiro concerto do ano será nesta quinta-feira (5), na sala Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural José Lins do Rego. Os apreciadores do talento sinfônico dos artistas paraibanos ouvirão na noite uma peça do brasileiro Carlos Gomes, a “Abertura II Guarany”; a “Marcha Eslava, op.31”, de Tchaikovsky e, pra encerrar o espetáculo, uma obra de Beethoven, a “Sinfonia n. 7 em Lá Maior, Op. 92”. A apresentação inicia pontualmente às 20h30 e tem entrada gratuita.

Concertos didáticos – Uma das novidades para 2015 é que a OSPB volta a realizar concertos didáticos voltados para estudantes, crianças e adolescentes do ensino público e privado. Essas apresentações têm o intuito de formar público e facilitar o acesso à música sinfônica. Durante o espetáculo, o maestro explica como funciona a orquestra, fala sobre as peças executadas e os alunos poderão interagir com os músicos através de perguntas.

Para o maestro Durier, os concertos didáticos são um compromisso da OSPB com a sociedade. “Esse trabalho é uma função social da OSPB e tem o intuito de divulgar a música sinfônica e clássica, bem como fazer com que o jovem tenha uma visão maior de mundo e passe a apreciar a arte no seu repertório de conhecimento”. As apresentações didáticas serão realizadas nos ensaios gerais dos concertos oficiais, sempre às quintas-feiras, às 9h, na sala Maestro José Siqueira. As escolas que desejam participar devem entrar em contato com a administração da OSPB para agendar a presença. Serão aceitas até 300 pessoas na plateia.

Apresentações no interior da Paraíba – A orquestra ainda multiplica o número de apresentações em relação à última temporada com apresentações em outros municípios paraibanos. “Os concertos do interior serão por temporada. A OSPB deve atender a cerca de dez cidades polos, que possam receber a Orquestra com a infraestrutura necessária para abrigar o grupo e que tenham posicionamento geográfico estratégico de maneira que a população de outras cidades também possa se deslocar para assistir ao espetáculo”. O primeiro município a receber a OSPB será Sapé, no dia 17 de abril, em concerto dentro da programação da Semana Augusto dos Anjos. A apresentação será regida pelo maestro convidado Leonardo David.

Convidados – Em cada concerto haverá um convidado. Artistas paraibanos e de outros estados brasileiros, inclusive de reconhecimento internacional, compõem o conjunto seleto de convidados que a OSPB receberá. Serão 18 convidados ao longo do ano, um por concerto, a partir da segunda apresentação, no dia 19 de março. São nove músicos e nove regentes, inclusive duas maestrinas, as paulistas Lígia Amadio e Cláudia Feres. Entre as estrelas que serão recebidas pela OSPB estão o pianista Aleyson Scopel e os regentes Oswaldo Ferreira e Roberto Tibiriçá. “Estamos praticamente fazendo um intercâmbio musical, recebendo regentes e músicos de diversas localidades. Esses convidados passam a conhecer o trabalho da nossa orquestra e se tornam porta-vozes do nosso talento”, esclarece Durier.

Repertório – Durier adianta que continuará trazendo obras inéditas no país para o palco da Sala Maestro José Siqueira. Para ele, é uma forma de ampliar o repertório do público e de valorizar os compositores de talento. A música brasileira vai ganhar mais destaque. Em todos os concertos serão executadas obras nacionais, sejam músicas clássicas ou populares. Composições de artistas paraibanos também serão executadas, a exemplo de peças de José Siqueira e de José Alberto Kaplan.

Ansioso para o início da nova temporada, em que trabalha há meses, o maestro Durier espera que o público se aproxime ainda mais da OSPB neste ano. “Nossa meta é fazer com que a Orquestra retome uma posição diante da sociedade e que de fato ela possa cumprir a função social dela, que é de tocar para todos e em todo o Estado”.