João Pessoa
Feed de Notícias

Orquestra Jovem celebra o Ano da França no Brasil com concerto para Ravel

terça-feira, 6 de outubro de 2009 - 07:16 - Fotos: 

Para comemorar o Ano da França no Brasil, a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB), fará nesta quinta-feira (8) um concerto inspirado nas influências culturais trazidas daquele país. O repertório contempla uma peça do compositor erudito francês Maurice Ravel (1875 – 1937), outra orquestrada por ele e uma obra escrita por um autor russo, com solo da violoncelista Andrêyna Dinoá. A apresentação, que integra o projeto Quintas Musicais da Funesc, está marcada para às 20h30 no Cine Banguê do Espaço Cultural, com entrada gratuita.

Para Luiz Carlos Durier, o maestro titular da Orquestra Sinfônica Jovem, os concertos temáticos têm sido importante para o público, ao mesmo tempo em que também são para os músicos da Jovem. “Os concertos temáticos têm ajudado muito ao público que os aprecia, a orquestra que aprende e a sociedade musical que compartilha em audições inéditas”, assinalou o maestro.

Sob a regência de Durier, a Orquestra Jovem irá mostrar “Pavane pour une Infante Défunte” (Pavana para uma Princesa Morta), composta por Ravel em 1899 para piano, durante os estudos dele no Conservatório de Paris, quando tinha apenas 24 anos. A peça, que só veio a ser orquestrada mais de 20 anos depois, em 1910, foi inspirada em um quadro do pintor espanhol Velásquez.

Na sequência vem a obra de Dmitri Kabalevsky (1904–1987), o “Concerto para violoncelo nº1 em sol menor, op. 49”, com participação da solista paraibana Andrêyna Dinoá, de 22 anos, integrante do Quinteto Uirapuru, da Camerata Arte Mulher, da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa e estagiária da Orquestra Sinfônica da Paraíba.

A peça, dedicada ao jovem violoncelista Svyatoslav Knushevitsky, foi concluída em 1949. Requer uma grande habilidade musical e técnica do solista e da orquestra. Os três movimentos se integram perfeitamente, premiando os ouvintes com temas russos de muita beleza. Após 70 anos de sua criação, é apresentada pela primeira vez na Paraíba.

Após um breve intervalo, a orquestra volta para apresentar “Quadros de uma exposição”, peça que Modesto Mussuorgsky (1831–1881) fez em junho de 1874 e que, no verão europeu de 1922, recebeu a orquestração de Ravel. A obra – uma suíte escrita para piano – foi inspirada em 10 quadros do pintor e arquiteto russo Viktor Hartmann (1834-1873), um grande amigo de Mussuorgsky que acabara de falecer.

A pedido do colega compositor russo Sergei Koussevitzky, Ravel orquestrou o original pianístico da peça de Mussuorgsky. Reza a história que foi a partir daí que a peça ganhou ainda mais popularidade pelo mundo. Porém, Ravel realizou a instrumentação de “Quadros de uma Exposição” a sua própria maneira, já que não conhecia as orquestrações realizadas por Mussorgsky.

SERVIÇO:

Funesc Quintas Musicais
Onde: Cine Banguê do Espaço Cultural José Lins do Rego.
Quando: Quinta-feira (8), às 20h30.
Quanto: gratuito.