Fale Conosco

24 de outubro de 2011

Orquestra de Câmara estreia ‘Cantata Bruta’ para homenagear Solha



Orquestra OCCJP 1A Orquestra de Câmara de João Pessoa apresenta, sábado e domingo (28 e 29), o concerto “Cantata Bruta”, sob a regência do maestro Eli-Eri Moura. A peça tem como base um texto de W. J. Solha, e o concerto, que começa às 20h, no Cine Banguê do Espaço Cultural, em João Pessoa, faz parte das comemorações dos 70 anos do escritor e artista plástico. O evento é gratuito, fruto de uma ação conjunta do Governo do Estado e da Prefeitura de João Pessoa.

exposiçao de solha na funesc foto joao francisco secom pb (26)Segundo o maestro Eli-Eri Moura, o concerto é inédito em vários sentidos. Além de se tratar da estreia de “Cantata Bruta”, a peça foi elaborada para execução com dois solistas, dois declamadores, sons eletrônicos, coro e orquestra sinfônica. Junto com a orquestra, estarão se apresentando a mezzo-soprano Maria Juliana Linhares, o tenor Edd Evangelista, o ator Walmar Pessoa, a atriz Suzy Lopes e o Coro Sonantis (do Compomus/UFPB), com direção de palco, iluminação e cenário de Jorge Bweres.

O ineditismo começa com o fato de a obra ser um trabalho coletivo de seis compositores atuantes em João Pessoa. Fazem parte do grupo Didier Guigue, Eli-Eri Moura, J. Orlando Alves, Marcílio Onofre, Valério Fiel, e Wilson Guerreiro. Inédita também é a abordagem da “Cantata Bruta”, que leva ao palco o tema da violência e da banalidade da vida humana na sociedade contemporânea.

exposiçao de solha na funesc foto joao francisco secom pb (13)Por dois meses, os seis compositores trabalharam na música, cujo texto tem como referência central o premiado livro de Solha “História Universal da Angústia”.

Exposição – Complementando a programação, no sábado (29), às 19h, antes do concerto, será inaugurada a exposição “Waldemar José Solha: O Tempo Não Para”, com quadros novos e antigos do artista, no hall do Cine Banguê do Espaço Cultural.

A exposição tem como curadores Maurise Quaresma, diretora da Galeria de Arte Archidy Picado, e Sidney Azevedo, coordenador de Artes Plásticas da Funesc. A exposição também contará com a colaboração dos restauradores Fernando Diniz e Dulce Enriques.

No domingo (30), às 18h, haverá na Sala Verde do Espaço Cultural um bate-papo literário com a presença do próprio W. J. Solha. A idéia é fazer um encontro informal com o autor, no qual estarão presentes como debatedores o jornalista e poeta Astier Basílio, o coordenador de Literatura e Memória Cultural da Funesc, Archidy Picado Filho, e o jornalista Walter Galvão, editor geral do Sistema Correio de Comunicação.

exposiçao de solha na funesc foto joao francisco secom pb (12)No bate-papo, a plateia poderá participar formulando questões diretamente a Solha. A programação se encerra com a reapresentação da “Cantata Bruta”. Toda a programação tem entrada franqueada ao público.

 

Programação

Sábado – 29/10

19h – Abertura da exposição “Waldemar José Solha: o tempo não para”, no hall do Cine Bangüê

20h – Concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa com Coro Sonantis e solistas

Local: Cine Bangüê

exposiçao de solha na funesc foto joao francisco secom pb (28)Domingo – 30/10

18h – Bate-Papo Literário com W. J. Solha

Local: Auditório Verde

20h – Concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa com Coro Sonantis e solistas

Local: Cine Bangüê