João Pessoa
Feed de Notícias

Orquestra de Câmara estreia ‘Cantata Bruta’ para homenagear Solha

segunda-feira, 24 de outubro de 2011 - 12:50 - Fotos:  Secom-PB

A Orquestra de Câmara de João Pessoa apresenta, sábado e domingo (28 e 29), o concerto “Cantata Bruta”, sob a regência do maestro Eli-Eri Moura. A peça tem como base um texto de W. J. Solha, e o concerto, que começa às 20h, no Cine Banguê do Espaço Cultural, em João Pessoa, faz parte das comemorações dos 70 anos do escritor e artista plástico. O evento é gratuito, fruto de uma ação conjunta do Governo do Estado e da Prefeitura de João Pessoa.

Segundo o maestro Eli-Eri Moura, o concerto é inédito em vários sentidos. Além de se tratar da estreia de “Cantata Bruta”, a peça foi elaborada para execução com dois solistas, dois declamadores, sons eletrônicos, coro e orquestra sinfônica. Junto com a orquestra, estarão se apresentando a mezzo-soprano Maria Juliana Linhares, o tenor Edd Evangelista, o ator Walmar Pessoa, a atriz Suzy Lopes e o Coro Sonantis (do Compomus/UFPB), com direção de palco, iluminação e cenário de Jorge Bweres.

O ineditismo começa com o fato de a obra ser um trabalho coletivo de seis compositores atuantes em João Pessoa. Fazem parte do grupo Didier Guigue, Eli-Eri Moura, J. Orlando Alves, Marcílio Onofre, Valério Fiel, e Wilson Guerreiro. Inédita também é a abordagem da “Cantata Bruta”, que leva ao palco o tema da violência e da banalidade da vida humana na sociedade contemporânea.

Por dois meses, os seis compositores trabalharam na música, cujo texto tem como referência central o premiado livro de Solha “História Universal da Angústia”.

Exposição – Complementando a programação, no sábado (29), às 19h, antes do concerto, será inaugurada a exposição “Waldemar José Solha: O Tempo Não Para”, com quadros novos e antigos do artista, no hall do Cine Banguê do Espaço Cultural.

A exposição tem como curadores Maurise Quaresma, diretora da Galeria de Arte Archidy Picado, e Sidney Azevedo, coordenador de Artes Plásticas da Funesc. A exposição também contará com a colaboração dos restauradores Fernando Diniz e Dulce Enriques.

No domingo (30), às 18h, haverá na Sala Verde do Espaço Cultural um bate-papo literário com a presença do próprio W. J. Solha. A idéia é fazer um encontro informal com o autor, no qual estarão presentes como debatedores o jornalista e poeta Astier Basílio, o coordenador de Literatura e Memória Cultural da Funesc, Archidy Picado Filho, e o jornalista Walter Galvão, editor geral do Sistema Correio de Comunicação.

No bate-papo, a plateia poderá participar formulando questões diretamente a Solha. A programação se encerra com a reapresentação da “Cantata Bruta”. Toda a programação tem entrada franqueada ao público.

 

Programação

Sábado – 29/10

19h – Abertura da exposição “Waldemar José Solha: o tempo não para”, no hall do Cine Bangüê

20h – Concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa com Coro Sonantis e solistas

Local: Cine Bangüê

Domingo – 30/10

18h – Bate-Papo Literário com W. J. Solha

Local: Auditório Verde

20h – Concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de João Pessoa com Coro Sonantis e solistas

Local: Cine Bangüê