Fale Conosco

29 de maio de 2013

Orçamento Democrático de Sousa elege Cultura como prioridade



Durante a plenária da 10ª Regional do Orçamento Democrático Estadual, envolvendo nove cidades, a Cultura foi eleita como a segunda prioridade para a aplicação dos investimentos naquela região, uma decisão inédita na história do OD Estadual. Foram eleitas ainda as áreas da Educação, em primeiro lugar, e Saúde, em terceiro lugar.

Para o secretário de Cultura, Chico César, a decisão da sociedade é fruto de um movimento cultural organizado e articulado. “Isso foi muito importante, porque mostra o grau de mobilização do Fórum de Cultura do Alto Sertão. Isso mostra um setor bastante organizado, bastante mobilizado, com pessoas que compareceram em várias plenárias. E o ponto alto disso foi a plenária de Sousa”, afirmou.

O secretário falou ainda da importância de uma política cultural articulada com outros setores do governo, dizendo que “só é possível pensarmos Cultura com esse nível de prioridade como cultura ligada a uma política transversal. A cultura isolada, como uma política de artes e entretenimento não faz sentido em estar em segundo lugar numa região tão problemática como o Sertão da Paraíba. Ela só faz sentido como cultura da transversalidade.”

E anunciou suas intenções a partir deste resultado. “A nossa ideia é realizar imediatamente um fórum na cidade de Sousa chamando os agentes culturais para que indiquem suas prioridades, e realizar um seminário intersetorial interno, reunindo gestores da educação, saúde, segurança, Secretarias da Mulher e Diversidade Humana, Desenvolvimento Humano, para que a gente contagie o governo disso que a sociedade nos trouxe. É preciso trazer a cultura para o centro e fazer de toda prática do governo uma prática cultural”, afirmou.

O articulador cultural da Secult-PB e integrante do Fórum de Cultura do Alto Sertão – Foca, Leonardo Alves, revelou que esse resultado foi fruto de toda uma articulação com o movimento cultural. “Durante 20 dias pudemos conversar com as quadrilhas juninas, com as escolas de samba, com a comunidade cigana, e sempre acompanhando os companheiros do Orçamento Democrático, levando os debates da cultura para as reuniões preparatórias. Foi assim com os ciganos, que decidiram sua demanda cultural, foi assim com as quadrilhas, que tiraram mais de uma demanda, e os artistas em geral que participaram também tiraram suas demandas. E vieram para cá com propósito de, no corpo a corpo, mostrar propostas e convencer a população de votar em cultura”, explicou.

Segundo ele, o Fórum percorreu diversas cidades do Sertão, além de reuniões com jovens em escolas e equipamentos culturais da região. E relatou: “Tivemos também reuniões nas cidades de Santa Cruz, Aparecida, São Francisco, e nas escolas. A escola estadual polivalente daqui de Sousa veio em peso, trazendo uma proposta dos alunos para a cultura. Então, tanto a classe artística quis esse resultado, quanto a sociedade no geral. Vieram todos envolvidos com um único objetivo, de fazer a cultura ser prioridade, como foi”.