Fale Conosco

17 de dezembro de 2015

Operação vai reprimir trânsito de veículos e poluição sonora nas praias paraibanas



A Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) se reuniu com órgãos de trânsito e secretarias de Turismo de cinco cidades litorâneas, nesta quinta-feira (17), para  discutir detalhes de uma operação que vai ser realizada durante todo o verão. O objetivo é reprimir o trânsito de veículos automotores nas areias das praias da Paraíba. A ação visa também aplicar multas, mas, sobretudo, buscar orientação preventiva para evitar acidentes dos pedestres.

Após a reunião, todos os representantes dos órgãos assinaram uma Carta que será encaminhada ao governador Ricardo Coutinho para que sejam tomadas algumas medidas de proteção aos banhistas, turistas ou não. Entre as medidas estão a realização de uma campanha educativa para conscientizar as pessoas a não deixar lixo nas praias; inibir a circulação de veículos automotivos nas areias; e combater a poluição sonora.

Durante o encontro foram discutidas ações que podem ser tomadas em parceria entre o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Guarda Municipal, Companhias de Trânsito e Secretarias de Turismo. Entre elas estão a afixação de placas informativas sobre as leis que proíbem determinados comportamentos nas praias; melhorar a logística para as ações dos agentes públicos; proibir o acesso de ônibus de turismo que não estejam em acordo com as normas de trânsito e legislação municipal, entre outros.

O secretário de Turismo do Conde, Alexandre Cunha, disse que no município está em vigor uma lei que proíbe o acesso de ônibus e vans de turismo clandestinos de outros estados às praias. Os que estão cadastrados, à exceção das empresas da Paraíba, devem pagar uma taxa de permanência na região. Segundo Cunha, a intenção é selecionar os turistas que visitam as praias da Costa do Conde. “Não queremos aqui turistas que nos visitam apenas por um dia e deixam um rastro de sujeira e degradação do meio ambiente”, disse.

De acordo com o diretor de Economia e Fomentos da PBTur, Tony Péricles, cerca de 41 ônibus de turismo estiveram em Praia Bela, em Pitimbu, Litoral Sul paraibano, no domingo passado, dos quais 90% de outros estados. Essa área, segundo o diretor, que está sob proteção de Preservação Permanente (PP), deve ser uma que as operações devem estar mais atentas para que sejam evitadas ações degradadoras ao meio ambiental, mas, essencialmente, para reprimir o turismo nocivo ao estado.

As secretarias de Turismo de Cabedelo, Mataraca e Lucena denunciaram as frequentes irregularidades cometidas por pessoas que costumam circular com seus veículos (motos, quadriciclos e carros) na extensão das areias das praias da região. Esses abusos, segundo a secretária de Mataraca, Adna Freitas, ocorrem sempre em que não há um agente de trânsito próximo. Foi consenso na reunião de que há dificuldade de se manter a força policial  24 horas do dia.

A presidente da PBTur, Ruth Avelino, disse que é preciso que haja um intercâmbio entre os órgãos públicos no combate de repressão às irregularidades, principalmente, entre as secretarias de Turismo. A executiva destacou que é preciso seguir alguns bons exemplos como no Conde, onde há uma parceria com empresários locais, que estão providenciando placas sinalizadoras que informam sobre as leis que devem ser cumpridas pelos cidadãos.

Estiveram presentes na reunião representantes das secretarias de Turismo de João Pessoa, Conde, Mataraca, Lucena e Cabedelo; da Companhia de Trânsito de Cabedelo; Departamento de Estrada de Rodagem (DER-P); Batalhão de Trânsito da Paraíba (BPTran); Secretaria de Mobilização de Trânsito de Cabedelo; Companhia Especializada de Apoio ao Turista (Ceatur) e da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur).