João Pessoa
Feed de Notícias

Operação Scarface prende 29 pessoas acusadas de tráfico de drogas e homicídios

sexta-feira, 16 de agosto de 2013 - 16:38 - Fotos: 

A Policia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes – DRE, em parceira com o Sistema Prisional da Paraíba, deflagrou, na manhã desta sexta-feira (16), a Operação Scarface. O objetivo da ação policial era o desmanche de um esquema criminoso que envolvia 30 pessoas. Todos são acusados de formar quadrilhas de tráfico de drogas e cometer também outros crimes como assaltos e homicídios. Os mandados de busca e apreensão e de prisão foram expedidos pela Vara de Entorpecentes de João Pessoa.

Foram expedidos cinco mandados de busca e apreensão e 25 de prisão, sendo que 15 deles foram para detentos que estão no Sistema Penitenciário da Paraíba e que são acusados de comandar o tráfico de drogas, homicídios e assaltos  dentro e fora das unidades prisionais. Estes foram transferidos do Róger e do Sílvio Porto para o PB1, em Jacarapé. Além dos 25 mandados de prisão, foram presas mais quatro pessoas que estavam foragidas de Penitenciárias do Estado e mantinham uma relação com os crimes investigados na Operação Scarface, somando ao todo 29 prisões.

De acordo com o delegado de Repressão a Entorpecentes (DRE), Allan Murilo Terruel, um dos detentos presos está no presídio federal de Catanduvas, no Paraná, e comandava o tráfico de drogas na Paraíba por meio de informações repassadas pela mulher dele a criminosos no Estado.

Allan Terruel explicou ainda que o perfil do grupo era bastante violento e controlador. “Além do tráfico, eles ordenavam homicídios de rivais, de pessoas que consumiam drogas e também deviam ao grupo”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado, as prisões iniciaram na última quarta-feira (14), com o vereador Arnóbio Gomes, em Bayeux. “As investigações indicam que o vereador não tem uma função de liderança dentro do grupo, mas ele era responsável por repassar informações privilegiadas de ações policiais a criminosos e atuar na venda de armas para o grupo”, disse.

Para o secretário da Administração Penitenciária, Walber Virgolino, as investigações e o diagnóstico do funcionamento de um esquema criminoso que funcionava dentro dos presídios são essenciais para mostrar a sociedade que a polícia tem um trabalho constante de vigilância, monitoramento e repressão aos crimes no Estado, estejam onde estiverem, inclusive dentro das Penitenciárias, tudo será descoberto e punido.

As investigações que terminaram na execução da Operação Scarface tiveram início em 2011, com o monitoramento de quadrilhas de tráfico de drogas que atuavam em vários bairros de João Pessoa, como Mangabeira e Bairro dos Novais, além de cidades da Grande João Pessoa como Cabedelo, Bayeux e Santa Rita. As investigações levaram também a detentos que já se encontravam presos. Eles eram apontados como mandantes de assassinatos e estariam saindo inclusive de presídios federais. Os crimes estariam sendo articulados pelas mulheres dos detentos, que recebiam ordens durante visitas e repassavam em seguida para criminosos que estavam nas ruas.

Os presos na Operação Scarface são acusados de tráfico interestadual de drogas, associação para o tráfico, homicídios e formação de quadrilha. E agora ficarão à disposição da Justiça.