Fale Conosco

6 de setembro de 2012

Operação Liberdade apreende 100 kg de maconha e prende 17 pessoas em uma semana



Mais de 100 quilos de maconha foram apreendidos e 17 pessoas presas em decorrência da “Operação Liberdade”, realizada pela Polícia Civil na Grande João Pessoa. Nessa quinta-feira (6), policiais do Núcleo da Ilha do Bispo e da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Capital localizaram 45 tabletes de maconha escondidos em um terreno no bairro Renascer I.

Durante a ação, foi preso Adriano Alves Freire, o “Nem”, de 30 anos, apontado como um dos integrantes da quadrilha que era comandada por “Mago Lila”, e que seria responsável por esconder o entorpecente. De acordo com o gerente executivo de Polícia Civil Metropolitana, Wagner Dorta, com esse trabalho, a Polícia Civil desarticulou a principal quadrilha que comandava o tráfico de drogas na Região.

“É uma resposta que a Polícia Judiciária está dando à sociedade. A partir do momento que a gente apreende droga e tira o traficante de circulação, a gente também reduz os índices criminais, diminuindo os roubos qualificados, os homicídios entre outros crimes violentos intencionais, por isso uma operação extremante positiva”, avaliou.

Na última terça-feira (4), a “Operação Liberdade” apreendeu mais de 50 quilos do entorpecente no mesmo local. Uma pessoa foi presa. E ainda na noite de terça-feira, a polícia prendeu os fornecedores do entorpecente identificados como José Ricardo Rodrigues Barreto, 47 anos, e Antônio Marcos Gomes, 40 anos, ambos residentes em Paulo Afonso (BA), além de um dos integrantes da quadrilha formada por “Mago Lila”, Sérgio Barbosa Ventura, 39 anos. Ambos foram presos no momento em que seria feito o pagamento da droga.

Todos os acusados foram autuados por associação para o tráfico, crime previsto pelo art. 35 da Lei 11.343/06.

A operação – A “Operação Liberdade” foi deflagrada pela Polícia Civil na manhã de sexta-feira (31), abrangendo a Grande João Pessoa e mobilizando180 policiais civis. O objetivo foi cumprir 18 mandados de busca e apreensão, apreensão de drogas, armas, anotações de contabilidade da venda de entorpecentes, celulares e veículos utilizados por traficantes para a operacionalização do tráfico.

A polícia percorreu os bairros Renascer, Ilha do Bispo e Valentina Figueiredo, na Capital, e a cidade de Bayeux, apreendendo dinheiro, armas, drogas, celulares e munição. As investigações que culminaram na operação duraram mais de cinco meses, período em que foi constatada a existência de uma organização criminosa agindo no local com o comércio de drogas.

“Desarticulamos o principal traficante que atuava na região e, sem dúvida, pudemos devolver a tranquilidade às pessoas dessa comunidade. O trabalho será contínuo e integrado para que criminosos não voltem a aterrorizar a comunidade”, destacou a delegada Maria Solidade de Souza, responsável pelas investigações.

O delegado Állan Murilo Terruel, titular da DRE, lembrou ainda a importância da participação da população no combate ao tráfico de drogas. “Vamos dar continuidade a esse trabalho intenso de repressão e contamos com o apoio da sociedade, que deve continuar fornecendo informações pelo número197, uma ferramenta segura para denúncias, em que a pessoa não precisa se identificar”, afirmou.