João Pessoa
Feed de Notícias

Operação garante segurança para usuários de transportes coletivos

sexta-feira, 1 de março de 2013 - 18:49 - Fotos:  João Francisco / Secom-PB

A Polícia Militar está intensificando as abordagens nos ônibus de João Pessoa, por meio de bloqueios policiais montados em vários pontos da cidade. Nesta sexta-feira (1), um bloqueio montado na Avenida das Trincheiras, em Jaguaribe, abordou 66 ônibus e realizou revistas nos passageiros e nos coletivos. Em uma semana de operação, já foram cerca de 500 transportes que passaram pelas abordagens, conforme dados da seção de planejamento do 1º BPM. A Operação ‘Ônibus Seguro’ não tem data para terminar e será intensificada neste fim de semana.

A Operação ‘Ônibus Seguro’ foi deflagrada na última sexta-feira (22) para prevenir assaltos aos transportes coletivos. 40 policiais do 1º Batalhão participam das blitzen e realizam rondas em locais com maior probabilidade de ocorrência para esse tipo de crime. Em uma semana de operação, quatro armas foram apreendidas (sendo dois revólveres e duas pistolas de brinquedos) e quatro suspeitos detidos. Eles foram flagrados dentro dos ônibus planejando realizar assaltos em locais propícios para fuga.

Durante as blitzen, os passageiros são convidados a descerem para passar por uma revista, enquanto um policial realiza buscas embaixo dos bancos dos ônibus e mantém contato com motoristas e cobradores dos veículos.

O aposentado José Pereira, de 71 anos, passou por uma abordagem, nesta sexta-feira (1), quando seguia viagem no ônibus que faz a linha 104 – Bairro das Indústrias, e elogiou a ação realizada pela Polícia Militar. “É bom porque a gente se sente seguro para pegar ônibus, já que é o transporte que dependemos e a presença da polícia nos deixa muito tranquilos”, afirmou.

Para o comandante do 1º BPM, tenente coronel Almeida Martins, a colaboração das pessoas tem sido fundamental na operação ônibus seguro. “Os cidadãos têm entendido que estamos realizando esse trabalho para a própria segurança deles e é muito importante esse contato com os passageiros e motoristas, pois através deles, com um gesto ou informação, conseguimos retirar de dentro dos ônibus indivíduos que poderiam estar seguindo viagem ao lado dessas pessoas para realizarem um assalto ou até mesmo ferir alguém durante a ação”, comentou Almeida Martins.