Fale Conosco

19 de junho de 2009

ONGs realizam projetos de prevenção



A partir do próximo mês de julho, dez organizações não-governamentais (ONGs) e da sociedade civil de João Pessoa e Campina Grande vão colocar em prática projetos comunitários de prevenção e assistência às pessoas que vivem e/ou convivem com HIV/Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis. Os trabalhos aprovados pela Gerência Operacional das DSTs/Aids da Secretaria de Estado da Saúde (SES) tem como públicos-alvo prostitutas, mulheres indígenas, crianças, adolescentes e jovens.
 
As atividades incluem oficinas, cursos, palestras, rodas de conversa, apresentações teatrais, seminários, capacitação de pessoal, feiras de serviços e visitas em domicílios, escolas e hospitais. Algumas organizações também vão produzir material educativo e oferecer acompanhamento nutricional e psicológico, além de proporcionar atendimentos com profissionais de Serviço Social e Direito.

As propostas aprovadas foram escolhidas durante a quinta edição da seleção pública de projetos na área de HIV/Aids e outras DSTs. Dezoito organizações se inscreveram e, dos dez projetos classificados, sete são de João Pessoa e três de Campina Grande. O resultado foi divulgado no último dia 15.

“Essa parceria com as instituições é muito importante, não só na assistência aos portadores das DSTs, como também no trabalho de prevenção junto à população. Nessa seleção, especificamente, tivemos projetos de excelente qualidade, que primam pela humanização, amor e comprometimento com a causa. Estamos muito satisfeitos com o resultado”, disse Marta Brasileiro, gerente operacional das DSTs/Aids.

Recursos – Os recursos disponíveis para os projetos são R$ 246.720,92 e estão previstos no Plano de Ações e Metas da Gerência Operacional das DSTs/Aids, elaborado anualmente. O valor dos projetos varia entre R$ 20.560,07 e R$ 30.840,11. O dinheiro será liberado em duas parcelas e, na próxima semana, as organizações vão assinar os convênios e já recebem 50% do valor aprovado. A outra parte só será liberada quando as instituições prestarem conta da primeira parcela, o que deve ser feito 30 dias após o recebimento dos recursos.

Segundo Marta, até outubro deste ano, a gerência vai lançar outro edital. A Gerência Operacional das DSTs/Aids faz parte da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde.

Projetos classificados
1. Jardim Regado – Missão Nova Esperança
2. Mercado de Trabalho e Qualificação Profissional – RNP+/CG
3. Crescendo de Bem com a Vida – Esperança no Amanhã
4. Recriando Vidas – Cordel Vida
5. Ações Educativas em saúde das Mulheres no Combate as DST e Aids – Centro da Mulher 8 de Março
6. Promovendo e Interiorizando as Ações de Prevenção com as Profissionais do Sexo – CIPMAC
7. Puta Prevenção! Interiorização – APROS
8. Nação Arco Íris – Amazonas
9. Mulheres Índias na Luta Contra Aids – Casa da Mulher Renascer Companheiras
10. Que legal saber! Educação em Saúde Sexual e Reprodutiva para Adolescentes e Jovens Portadores de Deficiência Visual em João Pessoa – Bemfam

Assessoria de Comunicação da SES-PB