Fale Conosco

11 de outubro de 2011

Ocorrência da dengue se mantém dentro da média e taxa de cura é de quase 100%



O percentual de cura da dengue na Paraíba é de 99,91% dos casos, e o Estado se mantém na média esperada no que se refere à ocorrência de novos casos, com tendência de redução das notificações. A informação está no boletim epidemiológico da semana 39 que corresponde ao período de 25 de setembro a 1º de outubro, divulgado nessa segunda-feira (10) pela Secretaria de Estado da Saúde.

De acordo o boletim, foram notificados como suspeitos de dengue 10 casos nos municípios de João Pessoa, Cabedelo, Coremas e Bayeux. “Os casos confirmados nessa semana se originaram em semanas anteriores e que tiveram investigação concluída só agora”, explica a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Júlia Vaz.

Pelo diagrama de controle observa-se que a partir da semana 33 e até a semana 38 o Estado se mantém com a ocorrência de casos dentro da média esperada. O diagrama é uma ferramenta de monitoramento que se baseia numa média de ocorrência da dengue formulada por época do ano e serve para subsidiar as ações de saúde para enfrentamento da doença.

Novos dados – Até o dia 1º deste mês foram registrados 7.362 casos de dengue clássica (DCC), 115 de dengue com complicações, 89 de febre hemorrágica da dengue (FHD) e sete óbitos.

Ações – A Secretaria de Estado da Saúde iniciou em setembro o cronograma de ações de mobilização para a construção do Plano de Contingência 2012. O primeiro passo foi uma reunião da Vigilância em Saúde da SES na qual foi feita uma avaliação das ações desencadeadas em 2011 e a definição de propostas para 2012. Depois houve outra reunião com gestores do Município de João Pessoa para pactuação de ações a serem realizadas em parceria no ano que vem.

No dia 6 desse mês, o Governo do Estado reuniu os 16 municípios prioritários nas ações de combate e prevenção à dengue para discutir a implantação anual do Liraa, um programa que permite fazer um levantamento rápido do Índice de Infestação Predial (IPP) com identificação e determinação dos depósitos predominantes onde se concentra o maior número de larvas do mosquito para que esses locais sejam tratados ou eliminados.

De acordo o chefe do Núcleo de Fatores Biológicos da SES, Antônio Neto, atualmente o Liraa está implantado nos municípios de Santa Rita, João Pessoa e Campina Grande, mas por determinação da Portaria do 086/11 do Ministério da Saúde todos os municípios prioritários agora terão que elaborar o seu programa anual de Vigilância Entomológica do Aedes aegypti no Brasil. “Este programa nos permitirá avaliar o Índice de Infestação Predial (IIP) no momento atual e vai nos servir como ferramenta norteadora de ações para o controle vetorial”, concluiu Júlia Vaz.

Antônio Neto explicou que no processo convencional, o levantamento do IPP pode ser feito por semana epidemiológica, o que pode demorar de um a dois meses. Já com o Liraa esse trabalho é realizado em cerca de três dias.

Os 16 municípios prioritários na Paraíba são João Pessoa, Bayeux, Lucena, Cabedelo, Santa Rita, Conde, Guarabira, Itabaiana, Monteiro, Campina Grande, Patos, Piancó, Catolé do Rocha, Sousa, Cajazeiras e Cuité.

Mobilização de crianças – Outra ação que o Governo do Estado está lançando é um projeto que mobiliza crianças na faixa etária de 7 a 10 anos de idade que estejam na escola. Esses menores serão os novos parceiros nas ações de combate e prevenção à dengue. O primeiro município a ser visitado dentro dessa ação foi Alagoinha.

Na reunião com gestores da cidade foi apresentado o projeto quem tem como objetivo trabalhar com as crianças as ações de prevenção e combate à dengue: “O que elas aprendem na escola levam para casa e cobram dos pais e dos colegas”, justifica Júlia Vaz.

A gerente de vigilância explicou que o projeto vai contemplar, até o final do ano, todos os municípios com população estimada em menos de 10 mil habitantes e que tenham um grande número de crianças na faixa etária de sete a 10 anos de idade freqüentando a escola. A próxima cidade a ser visitada será Diamante, no Vale do Piancó, nestas quinta e sexta-feira (13 e 14).

Esta ação, segundo informou Júlia Vaz, integra as atividades que serão desenvolvidas durante o período de verão desse ano para o combate e prevenção à dengue.

O Governo do Estado investiu R$ 73.755,00 na compra de um kit educativo denominado “Olimpíada de combate Dengue’ que é usado nessa ação educativa. O material consta de um jogo de tabuleiro, um quebra-cabeça e um jogo da memória que abordam formas de prevenção e combate à doença.