Fale Conosco

18 de julho de 2012

Obras na nova Central de Polícia seguem no bairro do Geisel



18.07.12 obra_central_policia_foto_antonio david (78)A construção da nova Central de Polícia Civil de João Pessoa, cujo projeto é considerado o mais moderno do Brasil, segue em ritmo normal. Cerca de 100 homens estão trabalhando na construção do prédio, situado no bairro do Geisel, às margens da BR-230.

O terreno vai abranger a Delegacia Geral de Polícia Civil, a Gerência Executiva Metropolitana (GEPCM), todas as delegacias especializadas da Capital – como Homicídios, Roubos e Furtos e Entorpecentes – sala de reunião e ainda um Núcleo de Investigação de Pessoas Desaparecidas.

“No momento, está sendo realizada a terraplanagem e várias máquinas estão no local. O próximo passo é a fundação”, explicou o secretário da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, que acompanha a obra. A previsão é que a Nova Central seja entregue à Polícia Civil em dez meses.

Há 30 anos a Central de Polícia de João Pessoa está instalada no bairro do Varadouro, onde funcionam a GEPCM, diversas delegacias especializadas e o xadrez. “O prédio tem uma estrutura comprometida, insalubre para o trabalho dos policiais, inadequada para o perfil que temos hoje e incapaz de atender a população como deveria”, declarou o delegado geral de Polícia Civil, Severiano Pedro do Nascimento, que comemora a construção da nova Central.

18.07.12 obra_central_policia_foto_antonio david (66)Apoio – Entidades representativas de Polícia Civil da Paraíba já reiteraram apoio à construção da Central, juntamente com o Instituto de Polícia Científica (IPC) e a Academia de Ensino de Polícia (AEP), que serão instalados na PB-008, estrada para Jacarapé. O conjunto de obras será possível graças à permuta entre o terreno da atual AEP, no bairro de Mangabeira, e o terreno no Geisel. A permuta foi feita pelo Governo do Estado em 2011.

Na época, as entidades entregaram ao governador Ricardo Coutinho uma declaração pública nesse sentido e solicitaram que a aplicação dos recursos fosse integralmente na estrutura da Polícia Civil. Os dirigentes também manifestaram o interesse de acompanhar a execução das obras, o que foi prontamente acordado com o chefe do Executivo.

Outro pleito das associações e sindicatos, já atendido, foi o de que as instalações das atuais AEP e Central de Polícia fossem desativadas só após a entrega das novas instalações em plena e total funcionalidade.