Fale Conosco

25 de março de 2014

Obras de esgotamento sanitário preparam municípios para receber águas do São Francisco



 Onze cidades paraibanas, das 51 situadas na Bacia do Projeto de Irrigação do São Francisco – PISF, estão sendo preparadas para receber as águas da transposição, com a implantação do sistema de esgotamento sanitário. São elas: São Bento, Belém de Brejo do Cruz, Coremas, São José de Piranhas, Cabaceiras, Caraúbas, Coxixola, Livramento, São José dos Cordeiros, Serra Branca e Taperoá.

De acordo com o Secretário Estadual dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente, da Ciência e Tecnologia – Serhmact, João Azevêdo Lins Filho, os projetos executivos das demais cidades já foram encaminhados ao Governo Federal para viabilização dos recursos.

Com a conclusão das obras da transposição, será necessário que todas as cidades situadas nas bacias receptoras integrantes do PISF estejam com as soluções para o esgotamento definidas. Dessa maneira, as águas que poderão entrar no nosso Estado, contaminadas, não oferecerão risco à saúde da população”, explicou o secretário.

João Azevêdo lembra que parte das águas do São Francisco será distribuída através de grandes sistemas de adutoras, ou seja, “as águas serão armazenadas em reservatórios e a sua distribuição para a população será feita somente após o devido tratamento nas Estações de Tratamento de Água – ETA, que compõem o sistema”.

Entre os municípios que aguardam a liberação dos recursos, pela Funasa, está a cidade de Monteiro, no cariri paraibano, cujo reservatório, Poções, recebe as águas do Rio Paraíba, altamente contaminadas pelos esgotos.

Preocupado com esse risco, o tratamento das águas do Rio São Francisco é uma prioridade do Governo do Estado, que já investiu em contrapartida e obras com recursos próprios, vinculadas apenas à transposição, aproximadamente R$ 130 milhões.

A Paraíba atualmente desenvolve o maior programa de Saneamento Básico já implantado até hoje, envolvendo recursos na ordem de R$ 3 bilhões em obras de Canais, Barragens, Adutoras, Esgotamento Sanitário, Ampliação de rede de abastecimento de água e Estações de Tratamento”, concluiu o secretário.