João Pessoa
Feed de Notícias

Obra do Clementino Fraga vai aumentar em mais de 50% capacidade de internação do hospital

quinta-feira, 29 de outubro de 2009 - 12:11 - Fotos: 

O Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (SES), já está com sua nova área de ampliação quase pronta. Com a reforma, o hospital – que é referência no Estado para o tratamento de doenças infecto-contagiosas – vai aumentar em mais de 50% a sua capacidade de internação. Hoje, o hospital funciona com 103 leitos e, com a ampliação, esse número chegará a 160, melhorando ainda mais a qualidade de atendimento aos pacientes.

A obra começou em 2001, no Governo Maranhão II, se arrastou entre 2003 e 2008 e só em março deste ano voltou a ser impulsionada. A atual gestão acelerou a obra a tal ponto que, em apenas nove meses, pretende entregá-la reformada e ampliada. O orçamento total da reforma e ampliação é de R$ 25,5 milhões, sendo R$ 16 milhões para o trabalho da área de engenharia civil e R$ 9,5 milhões para a aquisição de novos equipamentos. A obra já está com mais de 80% de suas atividades concluídas e tem previsão de entrega para o início de dezembro.

A instituição possui um ambulatório com especialistas em dermatologia, pneumologia e infectologia e é referência estadual para HIV/Aids, tuberculose e hanseníase. Com uma demanda mensal de mais de 6 mil pacientes, atualmente dispõe de 103 leitos de internamento, sendo 41 destinados a pacientes com  HIV/Aids, 32 para pessoas com tuberculose e quatro para hanseníase.

A instituição possui também uma unidade do Hospital Dia, com seis leitos disponíveis para HIV/Aids. Este serviço faz parte da política de saúde do SUS, onde o paciente fica o dia em observação e recebe tratamento especializado, oferecido por uma equipe multidisciplinar, que é conduzida por um infectologista.

Segundo a diretora do Clementino, Rosineide Renovato Freire, as novas instalações irão acomodar um número muito maior de pacientes, já que ao todo o hospital terá 160 leitos, sendo seis para UTI. Os novos leitos também irão ampliar a capacidade de internação para o Hospital Dia e infectologia geral.

Novas especialidades – No início de outubro, a Secretaria de Estado da Saúde autorizou a admissão de novos especialistas para o hospital, como urologista, neurologista, endocrinologista, angiologista e nefrologista. A chegada desses profissionais vai resolver um antigo problema, que era o de encaminhar os pacientes para outras unidades hospitalares. Antes, era bastante comum as recusas em receber portadores de doenças infecto-contagiosas.
 
“A atual gestão encontrou grandes dificuldades em referenciar seus pacientes, pois o preconceito, principalmente em relação ao HIV/Aids, ainda é muito forte. Além disso, a carência que o SUS enfrenta com especialidades necessárias no tratamento e acompanhamento dessas patologias ainda é grande”, disse Rosineide Renovato Freire.

A diretora do hospital informou ainda que, quando assumiu a gestão, o pavilhão da tisiologia, onde são tratados os portadores de tuberculose, encontrava-se em estado precário, com risco de desmoronamento, já que esse setor não havia sido contemplado no projeto da gestão anterior. “Tivemos que desocupar o local com a máxima urgência, dar alta a quem já apresentava uma melhora considerável e transferir alguns pacientes para outras áreas de ampliação”, relembrou.

No último mês foi publicado o convênio do aditivo financeiro, para contemplação da instalação da tubulação da rede dos gases medicinais, para atender a todo o hospital, inclusive a UTI.

Assessoria de Imprensa do Hospital Clementino Fraga/SES