João Pessoa
Feed de Notícias

Núcleo de Análise Criminal e Estatística ajuda a reduzir índices criminais na PB

terça-feira, 19 de junho de 2012 - 07:15 - Fotos:  Secom-PB

As ações de monitoramento realizadas pelo Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace), da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (Seds), vêm contribuindo para a redução dos índices criminais na Paraíba e servindo de referência para outros Estados do Nordeste.

Com profissionais especializados e uso de ferramentas modernas de geoprocessamento, o Núcleo trabalha diariamente no mapeamento da violência, identificando os locais de maior incidência de crimes, em especial os homicídios, e oferecendo subsídios à ação policial em todas as cidades da Paraíba.

Os resultados das análises também ajudam a nortear as operações realizadas pelas polícias Civil e Militar e subsidiam projetos ligados à prevenção desenvolvidos pelo Corpo de Bombeiros. “Através desse monitoramento diário, acompanhamos a dinâmica do crime, identificando o que chamamos de pontos quentes, e preparamos ações específicas de segurança. Com o policiamento orientado passamos a agir preventivamente e com uma repressão mais qualificada”, explicou o secretário da pasta, Cláudio Lima.

Os mapas da criminalidade e o resultado das análises são oferecidos aos gestores responsáveis pelo comando do policiamento nas diversas regiões e discutidos, semanalmente, durante reuniões de avaliação e controle promovidas pela Secretaria.

Segundo o assessor de ações estratégicas da Seds e um dos responsáveis pelo Nace, tenente coronel Júlio César, o trabalho tem estimulado o desenvolvimento de uma cultura de análise estratégica, baseada em gestão por resultados. “Com a confiabilidade dos dados nós construímos identidade e credibilidade que fazem com que gestores de segurança busquem essa ferramenta para incrementar suas ações policiais. Além disso, outros seguimentos do poder público e da própria sociedade civil tem recorrido ao Núcleo exatamente pela credibilidade dos dados”, afirmou.

Banco de dados confiável – A criação do Núcleo de Análise Criminal e Estatísticas da Seds foi fundamental para a construção de um banco de dados confiável da segurança pública, o que não existia no Estado. Com isso, a Paraíba passou a aferir concretamente os números da violência, em especial os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) e Crimes Violentos Patrimoniais (CVP), criando condições para a avaliação, controle e estabelecimento de metas para redução da criminalidade.

A Paraíba é um dos primeiros estados a adotar ferramentas de análise criminal e a empregar um método padrão para a contabilização dos homicídios, com base nas diretrizes da Secretaria Nacional de Segurança Pública, o que poderá servir de modelo para os demais Estados do Nordeste. A metodologia empregada foi fundamentada pelo trabalho científico desenvolvido pelo analista criminal Vinícius César, um dos integrantes do Nace. A Seds também encabeça o debate sobre o uso de uma metodologia única no Nordeste, tendo realizado a 1ª Reunião Técnica de Análise Criminal e Estatística do Conselho de Segurança Pública do Nordeste (Consene) em maio deste ano.

“Há uma fragilidade e disparidade na elaboração da estatística criminal no Brasil. Nossa intenção é reunir o Nordeste e fazer com que a região avance no debate sobre um único modelo de análise criminal, fornecendo subsídios para o enfrentamento aos crimes violentos letais intencionais, em especial os homicídios”, afirmou Cláudio Lima.

Reforço na equipe – Em maio deste ano, o Nace recebeu um reforço de profissionais. Após um processo de seleção, passaram a fazer parte da equipe a sargento da PM Elaine Marinho e os soldados Wescley Fernandes e Carlos Rocha que atuam como assessores técnicos.

Para o assessor de ações estratégicas, o delegado Isaías Gualberto, o incremento de policiais vai permitir a ampliação dos serviços e melhorar a qualidade do monitoramento. “O objetivo é ampliar o trabalho de modo a atender às novas demandas que surgem em função da consolidação e confiabilidade do Núcleo”, destacou o delegado. Também são membros do Núcleo, o analista criminal Enio Emanuel e o analista em geoprocessamento André Luís.