João Pessoa
Feed de Notícias

Novo polo do Prima leva formação musical à Bayeux

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 - 09:23 - Fotos:  Secom-PB/ Francisco França

O Programa de Inclusão através da Música e das Artes (Prima), em 2014, vai contar com mais um polo. Localizado na cidade de Bayeux, o programa vai atender cerca de 350 estudantes. O Prima é um projeto de formação de orquestras jovens, que também inclui corais e bandas, e está presente em nove cidades da Paraíba, beneficiando cerca de 1.200 crianças e adolescentes.

A criação do novo polo se deu a partir do convênio estabelecido com o Ministério da Justiça, através do Programa Brasil Mais Seguro, no valor de R$ 569.078,00, destinados à aquisição de instrumentos musicais.

Para o maestro Alex Klein, responsável pela implantação, gestão e acompanhamento pedagógico do programa, o polo de Bayeux será bem-vindo. “Estamos felizes e imensamente gratos ao Ministério da Justiça pela confiança depositada em nosso programa. O Prima será ampliado em 2014, com a formação de uma ou duas dezenas de grupos orquestrais ao redor do estado. O polo de Bayeux se soma ao corredor oeste, que inclui os polos do Bairro dos Novaes, Alto do Mateus e Tibiri. O Prima faz sua parte ao elevar a qualidade de vida e principalmente trazer uma opção a centenas de jovens e crianças”, comentou.

O polo de Bayeux receberá mais de cem instrumentos, patrimônio que levará à formação de uma orquestra sinfônica na cidade. Além da orquestra, com os equipamentos disponíveis, ainda poderão ser criadas a orquestra jovem, orquestra infantil, bandas e corais de jovens e adultos. A experiência dá continuidade ao método pedagógico e de gestão que tem sido aplicado nos outros polos. Segundo o maestro, “Bayeux ainda receberá um lote de instrumentos de percussão popular. Essa é uma aposta do Programa na extensão dos benefícios de um sistema também voltado às diversas manifestações rítmicas e culturais da Paraíba”, observou.

Atualmente estão contemplados com o Prima os municípios de Cabedelo, João Pessoa (Mandacaru, Bairro dos Novais, Alto do Mateus, Tibiri), Guarabira, Campina Grande, Patos, Catolé do Rocha, Itaporanga e Cajazeiras, contabilizando 11 polos principais e uma totalidade de 21 centros de ensino sócio-musical, levando em consideração os polos satélites formados em algumas comunidades, através de parcerias com os próprios moradores, projetos e associações já existentes.

Tendo investimentos que somam cerca de R$ 5 milhões na compra dos instrumentos, através das Secretarias de Estado da Educação e da Cultura, o Prima tem como seu principal indicador de sucesso o desempenho escolar dos jovens envolvidos. Segundo o maestro, é recorrente o elogio dos diretores das escolas onde estão instalados os polos aos alunos que participam do programa.

Para o diretor executivo do Prima, Milton Dornellas, o sucesso se dá pelo seu caráter cidadão e de inclusão social. “O Prima é a reafirmação do exercício de cidadania. Oferece através da música e das artes o exercício de convivência, disciplina, melhor rendimento escolar e desenvolvimento do pensamento crítico. O objetivo do Prima não é formar músicos, mas fortalecer a caminhada para que tenham condição de fazer opções de vida profissional em qualquer área”, explicou.

Segundo ele, o processo pedagógico aprofundado em dois anos do Programa oferece conhecimentos gerais, proporciona conhecer outros ambientes, além daquele em que vivem esses jovens sem perder o censo de realidade. E afirma: “O Prima oferece ferramentas para que cada indivíduo tenha condição para buscar suas próprias transformações”.

Apresentações – Com o amadurecimento das turmas hoje existentes, o Prima tem começado a se apresentar publicamente, mostrando o desenvolvimento dos jovens em formação. Em outubro passado, o polo de ensino de Jacaré/Renascer (Cabedelo), fez duas apresentações no Recife, sendo uma na American School of Recife e outra no Instituto Ricardo Brennand. O evento foi idealizado pela professora Lucíola Fernandes, coordenadora do polo. Em novembro, durante a abertura do 8º Fórum Internacional de Desenvolvimento Territorial, em Campina Grande, o Prima foi apresentado através da JOC – Jovem Orquestra de Cabedelo, coordenada pela professora Mélani Granzel.

Também será realizado no dia 19 de dezembro, no Adro da Igreja de São Francisco, em João Pessoa, o primeiro Concerto de Fim de Ano, reunindo estudantes de todos os polos, que executarão composições clássicas e populares. O acesso será gratuito.

Reconhecimento internacional – O Prima chega ao final de seu segundo ano apontado com o mais extenso programa do tipo “El Sistema” no Brasil, referindo-se ao sistema de orquestras juvenis da Venezuela, exemplo seguido pelo programa paraibano. A conclusão é do pianista, compositor e pesquisador estadunidense Keane Southard, da Fulbright Foundation, que durante oito meses estudou os resultados de diversos programas semelhantes no Brasil. O pesquisador visitou todos os polos de ensino do Prima e se encantou com a capacidade de gestão de um sistema tão complexo, que já começa descentralizado e abrangendo grande parte do território paraibano.

El Sistema – O El Sistema é um modelo didático-musical, idealizado e criado na Venezuela por José Antonio Abreu, que consiste em um sistema de educação musical pública, difuso e capilarizado, com acesso gratuito e livre para crianças e jovens adultos de todas as camadas sociais. O programa é responsável pela manutenção de mais de 125 orquestras (sendo 30 orquestras sinfônicas) e coros juvenis, e pela educação de mais de 350.000 estudantes, em 180 núcleos distribuídos pelo território venezuelano. A importância desse método não é apenas artística. A maior parte dos jovens músicos do El Sistema provém das camadas mais carentes da população. Nas orquestras e coros, através de muito empenho pessoal e disciplina, o jovem encontra na música uma via de desenvolvimento intelectual e promoção social.