João Pessoa
Feed de Notícias

Neste domingo tem início o mais importante festival de arte da Paraíba

sexta-feira, 21 de maio de 2010 - 10:34 - Fotos: 

São mais de 160 atrações, de várias partes do país, ocupando cerca de 10 equipamentos culturais em 53 mil metros quadrados de área coberta, durante sete dias consecutivos de evento, entre os dias 23 e 29 de maio, em João Pessoa, na Paraíba.

O Festival Nacional de Arte (Fenart) é impressionante em sua proposta, extensão e diversidade. Realizado desde 1994 pelo Governo do Estado, através da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), o Fenart agrega as mais diversas vertentes da arte e da cultura brasileira, integrando paraibanos com artistas de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, entre outros Estados.

Em sua 13ª edição, um evento desta magnitude prestará uma bela e justa homenagem a um dos maiores artistas nascidos na Paraíba: Severino de Oliveira (1930-2006), o querido Sivuca, que faria 80 anos na próxima quarta-feira, 26 de maio. A data será lembrada ao longo dos sete dias de festival, em especial, na abertura, que acontece neste domingo (23).

Velho conhecido de Sivuca, Hermerto Pascoal volta a João Pessoa para homenagear o parceiro paraibano. “Sivuca dizia que Hermeto era o Beethoven do século 20”, recorda a compositora paraibana Glória Gadelha, esposa de Sivuca por 32 anos, até a morte dele, em dezembro de 2006. “Juntos, os dois fizeram belas canções e se apresentaram em shows”, completa.

Sivuca e Hermeto dividiram mais do que a música e o palco. “Era frequente as pessoas confundirem Sivuca com Hermeto e vice-versa”, lembra Glorinha, como é tratada com carinho pelos fãs. “Hermeto brincava, dizendo que, ao acordar, se olhava no espelho e dizia: 'Bom dia Sivuca', assim como Sivuca, ao acordar, se olhava no espelho e dizia: 'Bom dia Hermeto’”, revela.
  
Três anos e meio após a morte de Sivuca, Hermeto se une à Orquestra Sinfônica da Paraíba para prestar um justo tributo ao maestro, arranjador e compositor, nascido em Itabaiana. O concerto está marcado para às 20 horas na Praça do Povo do Espaço Cultural, com entrada gratuita ao público.

Conduzida pelo maestro-titular Marcos Arakaki, a Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB) abre o concerto com peças de Arturo Márquez (“Danzon nº 2”), Bizet (“Toreador”, extraído da ópera “Carmen”), Mestre Duda (“Seleção Luiz Gonzaga”) e Lorenzo Fernández (“Batuque”).

Na sequência, Hermeto mostra três números solos. Ou quase solo. O alagoano desembarca por aqui com o percussionista Fábio Pascoal e com a cantora Aline Morena, com quem já gravou dois discos. Levam ao palco “Mundo verde esperança”, “Suíte pixotinha” e uma surpresa que promete ser uma bela homenagem à Sivuca na voz de Aline.

Para encerrar o concerto, Sinfônica da Paraíba e Hermeto executam quatro obras do repertório de Sivuca: “Moto Perpétuo”, peça de Paganini arranjada pelo homenageado; “Rapsódia Gonzagueana”, do próprio Sivuca; “Feira de Mangaio” e “A doce canção de Nélida”, ambos fruto de uma parceria de Sivuca com Glorinha Gadelha.

ABERTURA SOLENE

Antes do concerto principal, uma solenidade no prestigiado Teatro Paulo Pontes, no próprio Espaço Cultural, dará início à edição 2010 do Fenart. Marcada para às 19 horas, o evento contará como o governador José Targino Maranhão, o presidente da Funesc, Maurício Burity, membros do primeiro escalão do governo, parlamentares, produtores e agentes culturais, jornalistas, blogueiros e formadores de opinião.

No palco do Paulo Pontes, a cantora lírica e vice-presidente da Funesc, Ana Gouveia, fará as honras da casa, cantando o Hino Nacional Brasileiro. Em seguida, o maestro Marcos Arakaki irá reger um número musical baseado na famosa “As Quatro Estações”, de Vivaldi. Nela, uma orquestra de câmara formada por músicos da Sinfônica Paraibana irão acompanhar bailarinos da Escola de Dança da Funesc, um recital com o trovador Oliveira de Panelas e o solista da noite Rucker Bezerra, violinista da OSPB.

Enquanto a solenidade acontece no Paulo Pontes, tem início a Feira de Livros do Fenart e a Exposição de Xilogravura em Cordel do artista pernambucano Marcelo Alves, ambas abertas ao público na Praça do Povo do Espaço Cultural.

Após a solenidade, será a vez do concerto de Hermeto com a Sinfônica da Paraíba e depois do concerto, a noite termina ao som da Orquestra Philarmônica da Polícia Militar, seguida pelo show da big band paraibana Toque de Vida, ambas ainda na Praça do Povo.

“Este Fenart será um Fenart bastante especial”, declarou Maurício Burity, presidente da Funesc que promove o evento. “E com quase o dobro de atrações do Fenart anterior, tenho certeza que iremos ter um recorde de público no festival”, acrescenta.

CIDADE CENOGRÁFICA

Uma cidade cenográfica foi erguida na Praça do Povo do Espaço Cultural para receber o público do festival. Quem já passou por Itabaiana (70km), vai reconhecer a Igreja da cidade e o coreto, erguidos com a finalidade de homenagear, também, a cidade onde Sivuca nasceu.

O acesso ao Espaço Cultural é gratuito ao público. Shows de Lenine, João Bosco e Frejat, por exemplo, têm entrada livre, assim como feira de livro, exposições, mostras e espetáculos no Palco Principal, no Palco 2 e no Teatro de Arena.

Apenas a entrada no cine-teatro Bangüê e no Teatro Paulo Pontes será cobrada, já que esses espaços tem um número limitado de cadeiras. O ingresso custa simbólicos R$ 4 por sessão.

Leia mais

Ao longo da semana, festival recebe atrações como João Bosco, Lenine e Nelson Motta

Festival faz história ao se conectar com as redes sociais

Sivuca, o músico que revelou a universalidade da música nordestina

Hermeto Pascoal já morou em João Pessoa

Assessoria de Imprensa da Funesc