João Pessoa
Feed de Notícias

Nascem no Projeto Ecoprodutivo os primeiros bezerros de inseminação artificial

sexta-feira, 18 de agosto de 2017 - 09:39 - Fotos:  Secom-PB

Quase um ano depois da inseminação artificial em doze vacas no Assentamento Alagamar, localizado no município de Salgado de São Felix, no Agreste paraibano, por meio do Projeto Ecoprodutivo, nasceram os primeiros bezerros. O acesso a essa tecnologia pelo agricultor familiar é possível graças a incentivos do Governo do Estado, numa ação planejada e executada pela Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, que tem tratado a atividade como prioridade na bovinocultura de leite e ou corte.

Esta ação permite a melhoria do rebanho bovino pertencente aos agricultores familiares ali residentes. O trabalho de inseminação foi executado pelas veterinárias Paula Fernandes Araújo e Adriana Trindade, pesquisadoras da Emepa, depois de seleção dos animais, da avaliação ginecológica e dos exames sanitários dos mesmos. Foram utilizado sêmen de reprodutores da raça Gir leiteiro da Estação Experimental João Pessoa, em Umbuzeiro, considerado como de excelência em todo o País.

A técnica utilizada pelas pesquisadoras foi o sistema de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), que permite que o criador escolha o momento de inseminar as vacas sem a necessidade de esperar que estas estejam no cio. A IATF é aplicada no rebanho pelo uso de fármacos capazes de controlar e sincronizar o ciclo estral e a ovulação das vacas, de modo que sejam inseminadas essas fêmeas em horários pré-determinados e com boas taxas de concepção. Sendo também capaz de trazer fêmeas em anestro à ciclicidade, explicaram as pesquisadoras.

O criador Expedito Francisco Gonçalves, da Comunidade Maria de Melo, assistido pelo Ecoprodutivo e beneficiado pelo programa, demonstrou satisfação com o resultado da inseminação de sua vaca que recentemente pariu uma bezerra com a genética do Gir leiteiro da Emepa. O criador Pedro Travassos de Melo Neto, mesmo com seu pequeno rebanho de cinco animais, recebeu a confirmação de que em breve uma vaca deve parir.

A equipe que acompanha o programa de inseminação em Alagamar é formada pelos pesquisadores Sebastião de Oliveira Pereira, Sérgio Viana, Antonio Jocemar da Silva, Paulo Emilio Carneiro de Souza, Manuel Mário e Augusto Gomes Neto, sob a supervisão de Ivonete Menino Berto e acompanhamento do diretor técnico da Emepa Manuel Duré e do presidente da Gestão Unificada Nivaldo Magalhães.

O Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada executa o programa de inseminação artificial em outras unidades do Projeto Ecoprodutivo, não somente com animais de raças bovinas, mas também caprinas e ovinas que apresenta resultados satisfatórios.

“A proposta deste trabalho é a busca da melhora da qualidade de vida, com a geração de oportunidade de trabalho e renda, ou seja, o investimento em produtividade tem sido uma alternativa mais vantajosa do que aumentar o rebanho. A concepção de vacas leiteiras via inseminação artificial, permite ao pequeno agricultor familiar diminuir o número de vacas e até dobrar os rendimentos, sem a necessidade de agregar novas áreas”, comentou Nivaldo Magalhães.