Fale Conosco

16 de março de 2016

Na Grande João Pessoa: Cagepa recolhe 9 toneladas de lixo por mês nas redes de esgoto



Imagine se deparar com uma TV dentro da tubulação de esgoto? Parece surreal, mas, para os agentes de manutenção da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), é uma situação até corriqueira ao fazer a desobstrução das redes. Entulho de material de construção, pneus, colchões, garrafas plásticas e carcaças de material eletrônico também já foram encontrados dentro dos canos da Grande João Pessoa. Por mês, são recolhidas cerca de 9 toneladas de lixo nas redes de esgoto da Região Metropolitana da Capital.

Para ilustrar o cenário de sujeira, no gradeamento da Estação Elevatória de Esgotos localizada na Avenida Maria Rosa, em Manaíra, são acumulados 70 kg de lixo todos os dias. “Lá a limpeza tem que ser diária. É a maior estação. Se calcularmos o que fica retido nas 66 elevatórias de esgoto da Região Metropolitana, o número é absurdo”, observou o engenheiro Ricardo César, subgerente de Manutenção de Esgotos da Cagepa.

Como esses objetos maiores vão parar na rede de esgoto é uma incógnita, mas os agentes de manutenção da Cagepa relatam que, em muitos locais, o lixo é entulhado pela população depois que as tampas dos poços de visita (PVs) são furtadas. “No fim das contas, é só uma questão de educação. Porque a conduta errada de uma pessoa acaba prejudicando dezenas de famílias. É quase um ato de vandalismo mesmo”, disse Ricardo César.

É feio, é sujo e – lamentavelmente – também é recorrente, segundo o engenheiro. Ele revelou que algumas localidades recebem a visita da equipe de manutenção da Cagepa todas as semanas. Comunidades como Alto do Céu, Timbó e Bairro São José, além de alguns pontos nos bairros de Manaíra e Tambaú, estão entre as de maior número de ocorrências.

No ralo, não! – Ricardo César destacou que o tipo e tamanho dos objetos encontrados chega a impressionar, no entanto, é uma atitude equivocada e, infelizmente costumeira, a que mais afeta as tubulações na Grande João Pessoa: o despejo de gordura e óleo de cozinha nas pias das residências.

“Aquele resto de óleo das frituras jogado na pia das casas que não possuem caixa de gordura vai impregnando as paredes dos canos e formando uma crosta de gordura que, juntando-se a outros detritos, obstrui a rede. É praticamente um ‘infarto’ da tubulação”, explica o subgerente de Manutenção de Esgotos, acrescentando que os locais com maior número de restaurantes e bares, como o Centro e a Orla da Capital, são os com maior registro de ‘coágulos’ de gordura, provenientes do óleo de cozinha.

 

LIXEIRA ENCANADA

O que a Cagepa recolhe das redes de esgoto (e que não deveria estar lá):

- Óleo de cozinha (forma placas de gordura nas tubulações)

- Colchões e espumas

- Material eletrônico e pedaços de móveis

- Fraldas, absorventes, filtros de cigarro

- Preservativos, sacolas e garrafas plásticas