João Pessoa
Feed de Notícias

Mutirão de Cirurgias de Catarata beneficia 200 pacientes no Sertão

quarta-feira, 21 de agosto de 2013 - 11:11 - Fotos:  Ricardo Puppe

O agricultor Rubéns Fernandes Vieira, da cidade de Poço de José de Moura, e a aposentada Maria Nilza Pereira Cosme, de Bonito de Santa Fé, foram uns dos 40 pacientes que compareceram ao Hospital Regional de Cajazeiras para realizar a cirurgia de catarata que tanto sonhavam fazer. As cirurgias fazem parte do mutirão que iniciou no último dia 19 e se estenderá até esta sexta-feira (23) nas instalações do Hospital Regional Dr. José de Souza Maciel.

Um médico da minha cidade me fez comprar um óculos por R$ 350,00, quando na verdade meu problema era catarata. Só neste hospital é que descobri o problema. Nunca pensei que conseguisse a cirurgia de graça”, disse Rubens Fernandes. Ele contou que uma filha que mora em Brasília ia pagar R$ 1.250,00, por cada olho, para fazer o procedimento em uma clínica particular. “Mas graças ao serviço oferecido aqui hoje, isso não foi necessário. Eu sempre tive fé que conseguiria um dia enxergar bem e hoje estou realizando um sonho”, disse o agricultor pronto para entrar na sala de cirurgia.

A aposentada Maria Nilza Pereira disse que o problema na vista já estava dificultando a realização das atividades diárias, mas ela nunca perdeu a fé. Ela aguardava com grande expectativa entrar na sala de cirurgia, para lá realizar o sonho de voltar a enxergar bem e a partir daí recomeçar a vida com muitos planos e disposição. “Eu sempre me apeguei muito a Jesus e hoje ele está me abençoando com essa cirurgia, por isso sempre digo que nunca devemos perder a fé”, disse emocionada.

De acordo com os dados da Central de Regulação do hospital, serão realizadas 200 cirurgias durante os cinco dias, sendo 40 por dia, 20 no turno da manhã e 20 no turno da tarde. O mutirão atende usuários dos 15 municípios que integram a 9ª Gerência Regional de Saúde. Além de Cajazeiras, os municípios beneficiados são: Poço Dantas, Bernardino Batista, Joca Claudino, Uiraúna, Poço de José de Moura, Triunfo, São João do Rio do Peixe, Santa Helena, Bom Jesus, Cachoeira dos Índios, Carrapateira, São José de Piranhas, Monte Horebe e Bonito de Santa Fé.

As marcações são realizadas na Central de Regulação do HRC pelos pacientes que se submeteram ao processo de triagem ocorrido no dia 25 de julho na Faculdade Santa Maria. No ato da marcação, eles apresentam os exames pré-operatórios resultado daquela triagem. Feito isso, recebem a ficha de agendamento da cirurgia. Novas datas serão divulgadas para a realização de mais 185 procedimentos, completando um total de 385 cirurgias contabilizadas no processo de triagem.

Para a diretora da unidade de saúde, Maura Sobreira uma das principais vantagens de ações como essa – e que é objetivo tanto do Governo do Estado como também do Ministério da Saúde – é o acesso do cidadão aos serviços básicos e especializados de forma descentralizada e cada vez mais próximo do usuário, evitando o deslocamento do paciente para os grandes centros e, consequentemente, possibilitando mais resolutividade. Segundo Maura, a proposta é também realizar cirurgias eletivas gerais, a exemplo de histerectomia, colecistectomia, herniorrafia, prostatectomia e perineoplastia.

O médico cirurgião oftalmológico Daniel Stropp, que coordena a equipe responsável pelas cirurgias, destacou a importância do procedimento na vida do usuário. “O problema da catarata surge por volta dos 55 anos, o que representa um sofrimento não apenas para o paciente, mas também para a família, já que, além das limitações que enfrenta, ele se torna ainda mais dependente dos filhos ou companheiro. No entanto, a cirurgia traz uma nova vida para o usuário, melhora a qualidade de vida, além de causar uma grande motivação”, destacou Daniel.

Mutirões do Estado – O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, realizou de janeiro até julho deste ano, 1.082 cirurgias eletivas. Os procedimentos de focoemulsificação com implante de lente intraocular dobrável (cirurgia de catarata) foram realizados no Hospital de Catolé do Rocha (105 cirurgias), Hospital Regional de Guarabira (182), Hospital Regional de Itabaiana (14), Hospital de Itapororoca (22), Hospital Regional de Monteiro (126) e Picuí (116), Hospital de Solânea (186), Hospital Regional de Pombal (129) e de Sousa (202).

Mais 2.131 cirurgias serão realizadas em agosto e setembro deste ano, sendo 569 para a região de Guarabira e Solânea, 116 para região de Picuí, 66 para Sousa, 464 para Cajazeiras, 151 para Itabaiana, 73 para Itapororoca, 148 para Piancó e região, 513 para Patos e 31 para a região de Pombal.

De acordo com a subgerente de Planejamento e Gestão da Secretaria de Estado da Saúde, Selda Gomes, o Governo Federal investiu R$ 695.726 nas cirurgias que foram realizadas este ano e mais R$ 1.370.233,00 nos procedimentos que acontecem em agosto e setembro. As cirurgias são realizadas pela Rede Estadual de Saúde.

O Ministério da Saúde busca reduzir o tempo de espera, zerar as filas no Sistema Único de Saúde (SUS) e ampliar o número de cirurgias eletivas no país. A cirurgia de catarata é a mais procurada pelos usuários do SUS. Em 2012, foram sete mil cirurgias realizadas na Paraíba. Durante a ação, o paciente passa por uma triagem, avaliação de exames e, em seguida, ao procedimento cirúrgico.

Sobre a doença – A catarata é uma patologia dos olhos que consiste na opacidade parcial ou total do cristalino e que começa a aparecer geralmente a partir dos 55 anos de idade. O cristalino é a lente que temos dentro do olho. Quando ela fica opaca, causa diminuição da visão e não melhora mesmo com o uso de óculos. O tratamento da catarata, quando a visão não melhora de modo satisfatório com a correção dos óculos, é sempre cirúrgico.

Melhorias na saúde – Nesta quinta-feira (22), o Governo do Estado vai entregar novos equipamentos que vão agilizar o atendimento e garantir a melhoria da qualidade dos serviços oferecidos no Hospital Regional de Cajazeiras. No mesmo dia, a cidade vai ganhar uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), instalada no Centro.

História do Hospital Regional de Cajazeiras A principal unidade de saúde do alto sertão paraibano completou, no último dia 6 de junho, 71 anos de serviços prestados à população. Ao todo, são 15 municípios atendidos pelo hospital.

A princípio, o HRC foi chamado de Hospital Regional Doralice de Almeida. Depois, mudou de nome, passando a se chamar Hospital Regional Dr. José de Souza Maciel de Cajazeiras, por ter sido este o primeiro cajazeirense a se formar em Medicina. Atualmente, o Hospital Regional de Cajazeiras está sob a direção da enfermeira Maura Sobreira, ex-gerente da 9ª Regional de Saúde.

Dados do HRC O Hospital Regional de Cajazeiras Dr. José de Sousa Macielatende hoje cerca de sete mil pessoas mensalmente e realiza aproximadamente 200 cirurgias nesse mesmo período. A unidade de saúde tinha 120 leitos e agora conta com 146. Os serviços oferecidos são: clínica médica e cirúrgica; urgência e emergência; UTI; maternidade (obstetrícia) e UCI (unidade de cuidados intermediários da maternidade).

Recentemente foi realizada reforma no setor de urgência, ampliação da estrutura física com salas vermelha, amarela e verde. O hospital é referência para os municípios de Bernardino Batista, Bom Jesus, Bonito de Santa Fé, Cachoeira dos Índios, Cajazeiras, Carrapateira, Monte Horebe, Poço Dantas, Poço de José de Moura, Santa Helena, Santarém, São João do Rio do Peixe, São José de Piranhas, Triunfo e Uiraúna.

Com os últimos investimentos recebidos, o HCR voltou a ser destaque no Estado e até modelo para outros hospitais graças aos projetos que foram executados neste ano. De acordo com a direção, dois sonhos se tornaram realidade: a implantação do acolhimento com classificação de risco (ACR) e a unidade de cuidados intermediários (UCI).

Uma das principais preocupações da direção é manter normalizada a realização de cirurgias eletivas, já que o número de pessoas na fila de espera era considerado alto.

Residência Médica– Ano passado, o Hospital Regional de Cajazeiras procurou estreitar ainda mais a relação com os alunos dos cursos de Medicina e Enfermagem da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Além do suporte que já é dado aos cursos, onde são oferecidos locais para aulas práticas e estágios, o HRC também se preocupou com os médicos recém-formados na cidade, abrindo editais para Residência Médica na área de Medicina da Família e Comunidade. Em 2011, foram oferecidas duas vagas para residentes de primeiro ano (R1), com duração de dois anos.

Humanização A equipe de Humanização do HRC voltou a ter atuação de destaque no atendimento e tratamento da população. A primeira medida foi implantar a Musicoterapia, projeto que visa promover, por meio da música, o bem-estar dos pacientes que estão internados e seus acompanhantes e também das pessoas que aguardam atendimento nos vários setores do HRC.

Novos investimentos –O mês de maio ficou marcado pela realização da 1ª plenária do Orçamento Democrático. A saúde foi uma das três prioridades elencadas pela população para serem atendidas pelo Orçamento Democrático, tendo o Hospital Regional como o principal beneficiado.

Na oportunidade, o governador Ricardo Coutinho anunciou para o HRC a implantação de cinco leitos de psiquiatria, a construção de um novo bloco cirúrgico com seis salas, ampliação de sete para dez leitos de UTI, a instalação de uma Unidade Intensiva Neonatal com seis leitos e R$ 1 milhão para realização das cirurgias eletivas.

Banco de Leite Outro setor que merece destaque é o Banco de Leite Humano do HRC. Sob a coordenação da enfermeira Symara Abrantes, o BLH está mais atuante e participativo. Em maio, o órgão disponibilizou curso para gestantes, em que abordou assuntos gerais da gravidez, com conteúdo teórico e prático para ajudar os pais no cuidado com seus filhos. Neste mesmo mês, o BLH mostrou ainda que houve crescimento de mais de 80% na coleta mensal de leite.

UCI inaugurada– Em junho de 2012, foi inaugurada a unidade de cuidados intermediários (UCI) da Maternidade Deodato Cartaxo, que fica anexo ao HRC. O setor recebe bebês recém-nascidos que precisam de cuidados especiais, evitando, quando possível, que eles sejam transferidos para UTI’s neonatais em outras cidades. Para isso, foi instalado um conjunto de equipamentos novos e modernos, incluindo três incubadoras.

Ouvidoria – A Ouvidoria do Hospital Regional de Cajazeiras é o setor responsável por receber sugestões, elogios e/ou reclamações dos seus usuários no que diz respeito à prestação de serviços, atendimento dos funcionários e estrutura física oferecida. É um espaço democrático onde as atendentes ouvem a todos encaminham a demanda à direção para apuração dos fatos e adoção de medidas cabíveis. Os atendimentos podem ser:

Pessoalmente – O usuário do HRC pode entrar em contato com as atendentes visitando a sala da Ouvidora, que fica no corredor administrativo do hospital.

Por formulário – Através de formulários, que são colocados em pontos estratégicos do hospital para que os usuários preencham e depositem nas urnas.

Por telefone e e-mail – Por meio ainda dos telefones fixos do hospital (083) 3531-3563/2736. Por e-mail através do endereço ouvidoriahr.cajazeiras@gmail.com.