Fale Conosco

22 de julho de 2009

Músicos agradecem apoio da Tabajara na divulgação de suas músicas



Um grupo de cinco artistas – sendo quatro compositores e um músico – visitou na tarde desta terça-feira (21) o superintendente da Rádio Tabajara, Rui Leitão, para agradecer o espaço que a emissora oficial do Governo do Estado vem concedendo, na programação, para divulgar a produção musical paraibana, além de parabenizá-lo por voltar a ocupar o cargo.

Na ocasião, ele fez questão de assegurar a continuidade do apoio, que deverá vir no lançamento mensal, no Canta Paraíba, de CDs de artistas da terra, shows externos vinculados a esse programa, transmitido pela Tabajara FM, e o retorno, até o final deste ano, de programas musicais de auditório, na AM.

Na reunião, iniciada às 15 horas, com as presenças dos compositores Beto Brito, Cacá Santa Cruz, Pedro Osmar, Adeildo Vieira e o músico Alex Madureira, que solicitaram este encontro, o superintendente da Tabajara, Rui Leitão, anunciou as inovações na grade da programação, “para dar mais espaço ao artista paraibano”. Um exemplo prático desse apoio, disse ele, é o fato de, a cada cinco músicas executadas na emissora, uma ser de músico da Paraíba.

Dentro dessa inovação da programação, o superintendente da Tabajara informou aos artistas o projeto de, no Canta Paraíba, que retornou à grade, apresentado por Nena Martins, e é transmitido aos sábados, do meio dia às 14 horas. A idéia, de acordo com Rui Leitão, é, na primeira hora desse programa, lançar, de maneira inédita, um CD de músico paraibano, ficando a segunda hora para entrevistas, numa conversa informal.

Outra idéia discutida com os artistas presentes foi o de promover, uma vez por mês, o show Canta Paraíba, num local ainda a ser definido pelo superintendente da emissora. Na oportunidade, o grupo sugeriu a criação de um programa musical, no que Rui Leitão sugeriu a todos que formatassem um programa piloto para posterior entrega e análise pela Superintendência da rádio.

Adeildo Vieira sugeriu que se desse crédito aos compositores das músicas tocadas, e não apenas aos intérpretes e, também, a criação de um acervo histórico com o material que já foi gravado no programa Canta Paraíba. “Queremos diversificar a programação da rádio, com música de qualidade, mas sem esquecer o caráter educativo”, comentou Rui.    

Com relação aos 10 anos da Tabajara FM, que se completarão no próximo dia 7 de agosto, Rui Leitão anunciou ser sua idéia a de realizar um show com artistas paraibanos, para marcar o aniversário da emissora, em local a ser definido, resultando daí o projeto de promover um show mensal, num local fora dos estúdios da emissora.
 
Quanto ao retorno do programa de auditório, com shows musicais, o superintendente da emissora disse que esse projeto deve ser implementado até o final deste ano, depois que a emissora AM receber um novo transmissor de 10 quilos, o que está previsto para o final deste mês de agosto. 
 

Celeiro Musical

Durante a reunião, Rui Leitão ainda ressaltou que, “depois da Bahia, a Paraíba é o maior celeiro musical da Região Nordeste”. Nesse sentido, ele expôs aos presentes o projeto de gravar em CD, para divulgação, as 10 músicas da Paraíba que deverão ir à final da etapa regional do Festival Nacional de Música da Associação das Rádios Públicas do Brasil (ARPUB), cuja etapa final, no País, será em dezembro, em Salvador (BA).

 “A Tabajara é o único veículo de comunicação de massa que tem a responsabilidade e o respeito com a música paraibana. Essa emissora é a nossa salvação, já que é a única rádio, na Paraíba, a divulgar a música paraibana. Nós encaramos o fato de outras emissoras não darem espaço de forma triste, pois não há diálogo, como existe o diálogo com a Tabajara”, disse o compositor Beto Brito.

Ele ainda lamentou o fato de que as outras emissoras de rádio na Paraíba só visarem o interesse próprio das empresas. ”Geralmente, elas só divulgam as músicas de artistas que vão fazer show que são apoiados por essas mesmas rádios”, disse.

Já o compositor Cacá Santa Cruz comentou que “a Rádio Tabajara tem sido de fundamental importância para divulgar a produção musical paraibana”. Segundo ele, “a Paraíba é muito rica, musicalmente, mas é muito difícil divulgar essa produção em outras emissoras, pois não há espaço”. Na opinião de outro artista, Adeildo Vieira, “a Tabajara dá uma lição para as emissoras, que insistem em dizer que a música paraibana não tem público”.

Guilherme Cabral, repórter do jornal A União