João Pessoa
Feed de Notícias

Mostra reúne trabalhos de pacientes do Juliano Moreira

terça-feira, 14 de agosto de 2012 - 13:06 - Fotos:  José Lins/ Secom-PB

O Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, que integra a rede hospitalar do Estado, está sediando uma mostra de trabalhos confeccionados pelos pacientes dos cinco Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de João Pessoa. As peças são pinturas e gravuras em papel machê e estão espalhadas em vários locais da unidade de saúde. A exposição vai durar cerca de 30 dias.

A diretora geral do Complexo Juliano Moreira, Ana Tereza de Medeiros, explicou que os objetos foram confeccionados pelos pacientes durante as oficinas terapêuticas. Ela explica que com essas criações, os pacientes revelam suas subjetividades. “A visão que eles têm do mundo exterior”, resume.

Ana Tereza conta ainda que, a partir desses trabalhos, pode ser feita a leitura psicológica e terapêutica, levando em conta também o valor cultural de cada trabalho. “Além disso, os pacientes ocupam suas mentes o que, acima de tudo, ajuda na recuperação”, destacou a diretora.

Os Centros de Atenção Psicossocial são serviços públicos de saúde mental, destinados a atender indivíduos com transtornos mentais relativamente graves. Esse serviço é uma substituição às internações em hospitais psiquiátricos e tem como maior objetivo tratar a saúde mental de forma adequada, promover a reinserção social dos usuários e fortalecer os laços familiares e comunitários.

Os Caps, instituídos juntamente com os Núcleos de Assistência Psicossocial (Naps), através da Portaria/SNAS Nº 224 – 29 de Janeiro de 1992, são unidades de saúde locais/regionalizadas que contam com uma população definida pelo nível local e que oferecem atendimento de cuidados intermediários entre o regime ambulatorial e a internação hospitalar, em um ou dois turnos de 4 horas, por equipe multiprofissional, constituindo-se também em porta de entrada da rede de serviços para as ações relativas à saúde mental.

Balanço – A Paraíba tem hoje 74 Centros de Atenção Psicossocial espalhados em vários municípios paraibanos. São 45 CAPS-I;  sete do tipo II; quatro CAPS-III; 8 do tipo CAPSi (infantil), 8 CAPS-AD e dois CAPS – AD III.

Caps I – Localizados em municípios com população entre 20 mil e 70 mil habitantes. Funcionam de segunda à sexta, das 8h às 18h. Atendem pessoas com transtornos mentais e com problemas relacionados ao consumo de álcool e outras drogas;

Caps II – Com equipe multidisciplinar mais numerosa, os Caps II atendem situações de saúde mental nos municípios com população entre 70 mil e 200 mil habitantes, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

Caps III – Estes serviços de saúde mental funcionam 24 horas, inclusive finais de semana e feriados, e podem ser implantados em municípios com mais 200 mil habitantes.

Caps-AD – Cidades que tenham mais de 100 mil habitantes têm indicação de implantar CAPS AD para atender pessoas que usam álcool e outras drogas.

Capsi – Serviços de saúde propostos para atender crianças e adolescentes com algum tipo de transtorno mental (incluindo álcool e outras drogas) em municípios com mais de 100 mil habitantes.