Fale Conosco

20 de julho de 2011

Ministro garante que não faltarão recursos para as estradas da PB



Romulo gouveia com min pauloSergio Passos foto francisco frança secom pb 0079

Rômulo Gouveia e o ministro Sérgio Passos.Foto: Francisco França/Secom-PB

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, garantiu na tarde desta quarta-feira (20) que não faltarão recursos federais para solucionar os problemas ocasionados pelas chuvas em pontos das BR’s 101, próximo à divisa da Paraíba com o Estado de Pernambuco, e 104, nas proximidades do município de Campina Grande. Ele disse também que providências emergenciais serão tomadas para corrigir os pontos de erosão criados com a construção do viaduto construído sobre a BR-230, no Acesso Oeste que liga a rodovia ao bairro do Varadouro, em João Pessoa.

Acompanhado do vice-governador Rômulo Gouveia, Paulo Sérgio Passos fez um sobrevoo de helicóptero nas áreas das estradas federais atingidas pelas chuvas, como também nas rodovias estaduais, indo de João Pessoa à divisa com Pernambuco e depois seguindo para Campina Grande, onde foram percorridos, de automóvel, alguns pontos da BR-104. Nesta rodovia ouve a necessidade de interrupção do tráfego de veículos no trecho que liga as cidades de Lagoa de Roça e Lagoa Seca. De volta ao Aeroporto Castro Pinto, onde concedeu entrevista coletiva, ele informou que buscará a solução para os prejuízos ocorridos na BR-101 através de contratos já firmados entre o Governo federal e o Exército brasileiro. No caso da BR-104, os problemas serão resolvidos vamos ter que resolver de forma emergencial.

“Tanto neste caso quanto no outro, não faltarão recursos para que possamos restabelecer a normalidade nas estradas federais que cortam a Paraíba”, enfatizou o ministro, salientando que veio a Pernambuco e à Paraíba por determinação pessoal da presidente da República, Dilma Rousseff. “Ela está acompanhando atentamente esses problemas; está preocupada com esses fatos de natureza meteorológica que tem atingido esses dois Estados”, comentou, ressaltando também a disposição do Governo Federal de colaborar com a solução dos problemas relacionados às rodovias estaduais, especialmente em pontos como a estrada que liga a BR-230 ao município de Ingá. Nessa estrada, uma ponte foi danificada pelas águas das chuvas, deixando a população ilhada.

“A depender da extensão do problema ocorrido com a ponte que se localiza nessa estrada, nós estamos imaginando a possibilidade de utilizar pontes do Exército compradas exatamente para atender situações desse tipo. São pontes metálicas, em módulos, que podem acudir a situações emergenciais como esta. É claro que aí nós teremos que avaliar não só a disponibilidade de pontes metálicas, mas também a extensão da ponte danificada”, comentou.

Levantamento – Nesta quinta-feira (21), o superintendente regional do Departamento Nacional de Trânsito na Paraíba (DNIT-PB), Gustavo Adolfo, deverá apresentar um relatório detalhando todos os problemas, como também o orçamento necessário para que as soluções emergenciais sejam tomadas.

“Já levantamos todos os quantitativos, e vamos chegar a um custo final, porque a gente só pode decretar emergência quando tiver um custo prévio, o qual estará chegando às nossas mãos nesta quinta-feira”, informou o superintendente, que também acompanhou o ministro e o vice-governador no sobrevoo de inspeção. “Nossos técnicos estão fazendo um levantamento, e eu devo estar publicando a emergência no mais tardar na segunda-feira (25). E aí iniciaremos os serviços”, acrescentou.

Ele disse também que o ministro Paulo Sérgio Passos veio aos Estados de Pernambuco e Paraíba para tomar conhecimento do problema, ver quais as providências que já estão sendo tomadas e acompanhar de perto o seu desdobramento. A ordem do Governo federal, segundo palavras do próprio ministro, é que sejam recompostos os estragos causados pelas chuvas. “Essas obras devem merecer atenção especial, e cabe a nós, pelas responsabilidades que tem o Ministério dos Transportes, sanar, resolver e devolver à população as estradas em perfeitas condições de uso”.

 

Rompimento e suturas – Explicando os problemas ocorridos nas BR’s 104 e 101, Gustavo Adolfo lembrou que na BR-104 houve o rompimento do encontro num pontilhão, e isso provocou a interrupção no tráfego normal na rodovia. Em razão disso, o acesso entre as cidades de Lagoa de Roça e Lagoa Seca está sendo feito por uma via alternativa que aumenta em doze quilômetros a distância percorrida. Na BR-101, há dois pontos críticos, um no quilômetro 74.9 e o outro já no contorno de Campina Grande. Nesses dois locais ocorreram sutura no leito da estrada.