João Pessoa
Feed de Notícias

Ministro assegura convênio de R$ 20 milhões para Defesa Agropecuária da Paraíba

quarta-feira, 9 de março de 2011 - 13:09 - Fotos: 

O ministro Wagner Rossi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) garantiu o repasse integral do convênio de R$ 20 milhões ao Governo do Estado para aplicação no combate à febre aftosa e a outras doenças animais. Segundo o secretário executivo da Agropecuária estadual, Rômulo Araújo Montenegro, o ministro disse que o corte orçamentário promovido pelo Governo Federal não afetará esse convênio, que é plurianual e também assegura a preservação da área livre de pragas quarentenárias.

O secretário esteve com o ministro em Brasília, ao lado do superintendente federal da Agricultura, Ademir Teixeira, e do secretário federal de Agricultura, Francisco Jardim. O objetivo da reunião foi definir o plano de trabalho e as estratégias para cumprir as exigências técnicas do Ministério e da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Os recursos foram garantidos também para outros seis Estados do Nordeste e o leste do Pará, que são classificados como zona de médio risco contra a febre aftosa. O dinheiro é para auxiliar os estados no cumprimento das metas acordadas com o Ministério, visando atingir nessas áreas a condição de zonas livres de febre aftosa. A previsão é que esse patamar seja alcançado até o final deste ano.

A previsão do Ministério é de que em maio de 2012 a certificação seja feita em âmbito mundial pela Organização Internacional de Episotias (OIE).

O secretário Rômulo Montenegro informou que, durante a reunião, o ministro Wagner Rossi solicitou aos secretários que estimulem os gestores de seus Estados a se empenharem na luta. “Mostramos ao ministro as ações que empreendemos desde o início deste Governo dentro do calendário estabelecido pelo Ministério da Agricultura, com o propósito garantir a mudança de classificação para área livre com vacinação da febre aftosa”, afirma.

Para o secretário explica que os recursos serão utilizados na vigilância epidemiológica nas propriedades rurais, reforço da estrutura de atenção veterinária dos 27 escritórios das Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal e na fiscalização em barreiras zoofitossanitárias fixas e volantes.

Situação da Paraíba – Atualmente, a Paraíba é classificada como zona de risco médio contra a febre aftosa, o que restringe a comercialização e a participação do gado em feiras agropecuárias. Produtos de origem animal só podem ser exportados para Estados que estão no mesmo status sanitário. “Com a nova classificação de zona livre poderemos exportar até para outros países, o que vai gerar investimentos de grandes grupos empresariais e abrir o comércio de produtos também no mercado nacional”, ressalta Rômulo Montenegro.

O secretário também pediu apoio do Ministério para realizar uma ação contra o avanço da praga da conchonilha-do-carmim, que atinge a palma forrageira.