Fale Conosco

31 de maio de 2012

Ministério determina que recursos sejam utilizados na assistência imediata às vítimas da seca



O Ministério da Integração Nacional determinou aos coordenadores estaduais de Defesa Civil que os recursos liberados pelo Governo federal sejam utilizados no socorro e assistência imediata às vítimas que se encontram em situação de emergência por estiagem. A informação foi dada pelo secretário de Infraestrutura, Efraim Morais, durante reunião do Comitê Integrado de Combate à Estiagem, na manhã desta quarta-feira (30), no auditório da Agência Executiva Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa).

Segundo Efraim, a reunião dos coordenadores estaduais de Defesa Civil, na terça-feira (29), em Brasília, foi uma convocação em caráter de urgência e discutiu a liberação de recursos, utilização do cartão de pagamento e atendimento prioritário às vítimas da estiagem com abastecimento de água para famílias que ainda não estão sendo atendidas pela Operação Carro Pipa, do Governo Federal, além da recuperação de poços desativados.

O Ministério da Integração Nacional definiu ainda um prazo até 13 de junho para que os Estados entreguem todos os planos de trabalho. No caso da Paraíba, alguns órgãos e secretarias que compõem o Comitê já entregaram seus relatórios e o secretário Efraim Morais estabeleceu que o restante seja entregue até a próxima quarta-feira (6), na reunião semanal do Comitê de Combate à Estiagem.

Carro pipa – Durante a reunião do Comitê, na Aesa, foi discutida ainda a possibilidade de ampliação da Operação Carro Pipa, realizada pelo Exército Brasileiro. Segundo o tenente Paulo Roberto, do 15º Batalhão de Infantaria Motorizado, a Operação já teve um acréscimo no seu atendimento, de 91municípios paraibanos para 100.

Para o diretor presidente da Aesa, Orlando Soares, a maior preocupação do órgão é com relação ao uso inadequado das águas dos mananciais paraibanos, para que eles não entrem em colapso com o aumento da Operação Carro Pipa e da outorga irregular das águas dos mananciais, pelas prefeituras.